Porta-voz: Bolsonaro “não descarta nem assume” lista tríplice para PGR

Rêgo Barros afirmou que o presidente ainda está avaliando o nome para a chefia do Ministério Público. Não há data para o anúncio

João Américo/PGR/MPFJoão Américo/PGR/MPF

atualizado 12/08/2019 20:29

A indicação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para o comando da Procuradoria-Geral da República (PGR) se aproxima, mas ainda não foi definida, segundo o governo. O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira (12/08/2019) que Bolsonaro “não descarta nem assume” a lista tríplice elaborada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) para fazer sua escolha. 

“O presidente já vem vocalizando, e não é ilegal o que ele vem vocalizando, a seleção de pessoas no amplo espectro do Ministério Público para a indicação do procurador-geral. É nesse contexto que ele trabalha. Ele não descarta nem assume escolher na lista ou fora dela”, disse o porta-voz.

Bolsonaro afirmou, na última semana, que a decisão seria divulgada até a próxima sexta-feira (16/08/2019). Nos bastidores, entre os nomes mais cotados, está o do subprocurador-geral da República Augusto Aras, que não participou da eleição para a lista. 

Os três mais votados por servidores do Ministério Público Federal (MPF) são o subprocurador-geral Mário Luiz Bonsaglia (478 votos); a subprocuradora-geral Luiza Cristina Frischeisen (423 votos); e o procurador Blal Dalloul (422 votos). 

No início do mês de agosto, a ANPR divulgou uma nota reforçando o pedido para que o presidente escolha um dos três nomes. A atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge, fica no cargo até setembro – e também sonha em ser escolhida, mesmo não tendo concorrido na eleição interna.

Últimas notícias