Bolsonaro diz que taxar aço e alumínio é tática política de Trump

Presidente dos EUA anunciou pelo Twitter a retomada da tarifa sobre produtos brasileiros e argentinos

Alan Santos/PRAlan Santos/PR

atualizado 02/12/2019 22:04

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou em entrevista à TV Record, na tarde dessa segunda-feira (02/12/2019), que o anúncio de taxação do aço e do alumínio pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, faz parte de uma estratégia política focada na reeleição do norte-americano. Para o mandatário do Brasil, ainda é possível reverter a decisão dos EUA.

“Sabemos que ele tem eleição no ano que vem e isso faz parte da sua estratégia política, mas nós somos um grande parceiro. Acreditamos que dá para solucionar essa questão. Tem outras coisas em jogo. A questão do trigo americano, que ele quer colocar aqui. O Mercosul caminha em um sentido de se aproximar dos Estados Unidos. Acho que ainda é possível negociar, sim”, afirmou Bolsonaro.

Trump informou pelo Twitter, nesta manhã, que os EUA retomariam as tarifas sobre o alumínio e o aço do Brasil e da Argentina.

A medida, segundo o post do norte-americano, seria uma retaliação em consequência da desvalorização do real e do peso – o que, de acordo com Trump, seria uma prática deliberada de ambos os países.

Ligação
Os ministérios da Economia, Relações Exteriores e Agricultura estão empenhados em levantar informações para negociar com o governo norte-americano. Caso as tentativas sejam frustradas, Bolsonaro prometeu fazer uma ligação direta ao chefe da Casa Branca. “Em última análise, caso não tenha sucesso, eu ligarei para o presidente Trump”, reafirmou.

O chanceler Ernesto Araújo e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disseram após um evento do Palácio do Planalto nesta tarde que o momento é de analisar os impactos da medida.

“Era um setor que desde o ano passado já preocupava os americanos. Vamos tentar entender e depois ver como a gente vai conversar com os Estados Unidos. Com muita calma, vamos chegar a um entendimento”, disse Araújo.