*
 

Desde sua prisão, no último sábado (7/4), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem se dedicado à leitura da obra A Elite do Atraso – da Escravidão à Lava Jato. O livro, escrito pelo sociólogo Jessé Souza, defende que a desigualdade é o principal problema do Brasil, sendo berço inclusive da corrupção.

O pesquisador vem a Brasília na próxima terça-feira (17) para participar do ciclo de debates Diálogos Contemporâneos – com palestras na Universidade de Brasília, às 13h, e no Museu Nacional, às 19h. Ao Metrópoles, ele afirmou que o Brasil vive um estado de exceção e avaliou o possível quadro eleitoral.

Jessé é formado em direito e sociologia pela Universidade de Brasília (UnB) e, atualmente, trabalha como professor titular de ciência política na Universidade Federal Fluminense (UFF).

Como o senhor avalia a situação política do Brasil atual?
Vivemos uma situação horrível, uma espécie de contrarrevolução no país. Os pequenos avanços sociais conquistados durante os anos de governo do PT estão sendo destruídos por aqueles que perderam espaço. O principal problema do Brasil não é a corrupção, é a desigualdade.

O que caracteriza essa “situação horrível”?
Esse é um tema complexo, eu exponho essas questões com mais profundidade no meu livro. Mas tem dois lados. A classe média celebrar a prisão do Lula é algo irracional. O ponto racional aí é promovido pelo mercado financeiro.

Quem compra é o mercado. Para a produção financeira poder assaltar a população – por meio dos juros altos, da dívida pública não auditada e da isenção fiscal –, cria-se uma realidade virtual de que a corrupção é apenas da política. Uma mentira"
Jessé Souza

O Estado é honesto, então?
A corrupção não está apenas no Estado, ele é uma parte do processo. É um lacaio do mercado. Vemos isso nas malas de dinheiro que chegam aos políticos. Da onde elas vêm? Das empreiteiras, das empresas. Deve-se apurar os desmandos do poder público, mas há um grande esquema montado para imbecilizar a população e esconder os grandes ladrões.

Quem é a “elite do atraso” citada no seu livro?
São os mentores desse esquema. Desde 1930, eles ameaçam qualquer projeto popular e atribuem ao Estado todo os males. Demonizam o poder público para esconder quem é o verdadeiro autor da corrupção.

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Para sociólogo, Lula é perseguido pela Lava Jato

 

Qual sua avaliação da prisão do ex-presidente?
Fiquei triste. Só ouço discurso de ódio e mentiras sendo divulgadas. No Brasil, a herança escravagista se transformou em ódio ao pobre.

O que o senhor achou de saber que o Lula está lendo seu livro?
Fiquei emocionado. Apesar das críticas que tenho aos governos de esquerda, não vejo nada de justiça nessa prisão. Lula está sendo perseguido porque tirou os pobres de seu lugar. O livro desmascara mais essa mentira da Lava Jato.

A Lava Jato é uma mentira?
Não tem nenhum aspecto positivo nessa operação. É um circo. Recuperou ridículos R$ 1,5 bilhão enquanto acabou com a Petrobras e destruiu a infraestrutura brasileira. Trata-se de uma ave de rapina do Brasil, entregando o país ao mercado financeiro internacional.

Além disso, dentro do país, a Lava Jato criou um estado de exceção, com apoio na violência e na brutalidade. Essa operação criou uma divisão muito grande no Brasil. De um lado, os que apoiam a brutalidade e, por outro, grupos de esquerda desejando o fim da desigualdade. Essa ruptura pode levar a uma guerra civil. Apesar de ainda parecer algo distante, começam a surgir indícios disso"
Jessé Souza
Divulgação

 

Como o senhor enxerga o quadro político-eleitoral?
Ainda está muito indefinido, mas isso vai mudar nos próximos meses. A esquerda não pode chegar tão fragmentada a ponto de dar fôlego ao candidato mais forte, que, hoje, com a saída de Lula, é o [Jair] Bolsonaro [PSL-RJ].

Por que ele ganhou essa força?
O Bolsonaro é filho da Globo e da Lava Jato. Esse clima de violência é fruto de uma imprensa maliciosa e venal, dessa campanha que dividiu o país e cresceu em cima dos medos e anseios da classe média.

Você acha que as forças de centro-direita não são competitivas?
Não há candidato viável do golpe. Esse discurso de reforma da Previdência, com retirada de direitos, enfraquece qualquer político.

A Elite do Atraso – da Escravidão à Lava Jato
De Jessé Souza. Editora LeYa. 240 páginas. R$ 44,90

 

 

COMENTE

Luiz Inácio Lula da Silvaprisão de LulaJessé Souza
comunicar erro à redação

Leia mais: Política