“Playboy do golpe” já fingiu ser jogador famoso durante Caldas Country

Conhecido por sair sem pagar em bares e restaurantes do país, Ruan Camponet disse ser atleta e gastou R$ 2,3 mil em choperia de Caldas Novas

atualizado 26/04/2022 11:23

ruan golpista saiu sem pagar barReprodução

Goiânia – Ruan Pamponet Costa, de 28 anos, o “Playboy do golpe”, conhecido por aplicar calotes em restaurantes e bares de mais de cinco estados brasileiros, já saiu sem pagar de um bar em Caldas Novas, conhecida cidade turística de Goiás. Ele se passou por jogador de futebol famoso que ia jogar no exterior para aplicar um golpe durante o evento musical Caldas Country em 2018.

Ruan ficou famoso nos últimos dias depois de ser preso por gastar R$ 6 mil em restaurante de Goiânia e fingir que tinha mal-estar para não pagar a conta. Dois dias depois de ser solto, voltou a deixar um estabelecimento no prejuízo em Palmas, no Tocantins, onde segue preso.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Não é a primeira vez que Ruan faz vítimas em Goiás. Em novembro de 2018, ele deixou o Boulevard Chopp Bar, de Caldas Novas, com um prejuízo de R$ 2,3 mil. Na época, acontecia o Caldas Country, que reúne milhares de pessoas de todo o país, semelhante a um “Carnaval sertanejo goiano”.

Jogador a caminho do exterior

Segundo processo no Tribunal de Justiça de Goiás ao qual o Metrópoles teve acesso, Ruan chegou ao local acompanhado de cinco pessoas. Logo que chegou pediu um kit de bebida alcoólica muito caro. O garçom adiantou que era preciso pagar adiantado.

Diante disso, Ruan teria inventado que estava acompanhado de seus quatro seguranças e um motorista. Ele ainda teria mentido que era um jogador do Goiás, que tinha acabado de ser contratado para jogar no exterior. Por fim, alegou que o irmão dele, que estava no Caldas Country, chegaria para pagar a conta.

O garçom do Boullevard contou em depoimento que a história contada por Ruan dava a entender que ele era uma pessoa rica e que teria condições de pagar a conta.

Só que depois de comprar kits de Vodka, Whisky e cerveja Corona, entre outras coisas, o cartão de crédito de Ruan não passou e o irmão dele não chegou para pagar. A Polícia Militar foi chamada já de madrugada, por volta das 3h, e Ruan foi levado para a delegacia.

Processo parado

Inicialmente, segundo a PM, Ruan teria falado que o cartão de crédito dele era clonado, mas a Polícia Civil comprovou que o cartão era dele mesmo. Na época, o delegado Wllisses Valentim avaliou que o suspeito se aproveitou da cidade estar passando por um evento de grande porte como o Caldas Country, que atrai todo tipo de gente, para tirar vantagem.

Ruan foi denunciado por estelionato, mas o processo estava parado desde julho de 2021 e só voltou a movimentar após o caso voltar à mídia neste mês. Na época desse crime em Caldas, Ruan morava na Asa Norte no DF e se declarou como desempregado. Ele se recusou a dar detalhes sobre o crime em interrogatório.

Ele tem passagens por golpes semelhantes em vários locais no Brasil. No Distrito Federal, por exemplo, ele também se passou por jogador de futebol para consumir e tentar sair sem pagar em um bar em abril de 2019. Os calotes de Ruan já foram registrados em Goiás, Brasília, Tocantins, São Paulo e Ceará, por exemplo.

Mais lidas
Últimas notícias