Para Wajngarten, mercado receberá com tranquilidade troca na Petrobras

O secretário especial de Comunicação Social da Presidência afirmou que a mudança na gestão da empresa é "ato administrativo corriqueiro"

atualizado 20/02/2021 19:56

Fabio WajngartenMichael Melo/Metrópoles

O secretário especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, defendeu a mudança no comando da Petrobras.

Em publicação no Twitter, na noite deste sábado (20/2), Wajngarten disse que a troca na presidência da empresa é um “ato administrativo corriqueiro” e cabe ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), escolher o novo chefe da Petrobras.

“Está próximo o fim do mandato do atual gestor da estatal e o presidente da República reiterou que não interferirá na empresa. O mercado vai absorver a troca com tranquilidade”, pontuou.

Confira a publicação de Fabio Wajngarten:


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comunicou, na última sexta-feira (19/2), a substituição de Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna. A mudança gerou reação no mercado financeiro e no mundo político. Na bolsa de valores, após o anúncio, as ações preferenciais da Petrobras recuaram mais de 6%, enquanto as ordinárias caíram 7,50%.

Mais cedo, neste sábado, o ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD), também comentou a saída de Castello Branco. “O governo jamais irá intervir em preços e acredita no livre mercado”, assinalou.

Faria expôs que havia “total falta de afinidade” entre Bolsonaro e o presidente da Petrobras. “A troca foi um fato isolado”, afirmou.

Últimas notícias