Operação Muzema combate exploração imobiliária clandestina no Rio

Ministério Público do estado, em parceria com a Polícia Civil, cumpre 17 mandados de prisão e outros de busca e apreensão

atualizado 16/07/2019 8:31

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), em conjunto com a Polícia Civil, realiza a Operação Muzema, na manhã terça-feira (16/07/2019), para prender suspeitos ligados à ocupação irregular e venda de imóveis na região. Ao todo, são cumpridos 17 mandados de prisão preventiva e outros de busca e apreensão. As informações são do jornal O Globo.

Até o momento, 27 pessoas foram denunciadas por estarem envolvidas em uma organização criminosa apontada pela exploração imobiliária clandestina na região da Muzema. O grupo é suspeito de ocupar, lotear, construir, vender e financiar terrenos e imóveis.

Os integrantes também seriam os responsáveis por fazer ligações clandestinas de água e energia elétrica, além de serem acusados por corrupção de agentes públicos.

Entre os principais alvos estão Bruno Cancella, Antonio de Brito Machado e Thiago de Farias Martins. As investigações apontam também para crimes ambientais, como supressão de vegetação protegida e extração clandestina de recursos minerais.

Para o MP, o grupo explora o déficit habitacional do Rio para realizar a prática. Os investigadores apontam que os criminosos colocam a segurança dos moradores em risco, pois não garantem a qualidade construtiva para os habitantes, além de causarem danos ao meio ambiente.

Em abril deste ano, dois prédios da comunidade da Muzema desabaram e deixaram 24 pessoas mortas.

Últimas notícias