Bombeiros divulgam balanço da Operação Muzema, no Rio de Janeiro

Foram mobilizados no trabalho de resgate nos prédios que desbaram mais de 100 militares por dia

OSE LUCENA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADAO CONTEUDO

atualizado 12/05/2019 16:43

Em balanço divulgado neste domingo (12/05/2019), quando se completam 30 dias do desabamento de dois prédios do Condomínio Figueiras do Itanhangá, na comunidade da Muzema, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, o Corpo de Bombeiros Militar informou que a Operação Muzema teve início com o acionamento do órgão, às 6h46 do dia 12 de abril passado.

O primeiro atendimento no local foi feito pelos militares do quartel de Jacarepaguá. Ao chegarem, os bombeiros se depararam “com dois prédios já colapsados e com populares tentando socorrer algumas pessoas, entre elas, duas vítimas já em óbito, sendo uma criança e um adulto”.

Foram mobilizados no trabalho de resgate mais de 100 militares por dia, além de aeronaves, drones, viaturas de remoção de cadáveres, ambulâncias.

A Operação Muzema foi encerrada na madrugada do dia 21 de abril, quando a última vítima foi resgatada. Segundo a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros Militar, desde então, não há relatos de possíveis desaparecidos.

Vítimas
Os registros revelam que foram encontrados com ferimentos sete adultos (quatro homens e três mulheres) e três crianças (dois meninos e uma menina).

Os bombeiros fluminenses encontraram já sem vida nos destroços dos dois prédios os corpos de quatro homens e dez mulheres, além de seis meninos e uma menina menores de idade.

Os três óbitos ocorridos em hospitais não foram computados nas estatísticas dos bombeiros.

Últimas notícias