Ômicron: cidades turísticas de Goiás cancelam festas de Réveillon

Caldas Novas, Alto Paraíso e Pirenópolis informam que não não terão eventos públicos de Réveillon; variante Ômicron já chegou ao vizinho DF

atualizado 03/12/2021 8:49

Chapada dos Veadeiros (GO)Giovanna Bembom/Metrópoles

Goiânia – As principais cidades turísticas do estado de Goiás decidiram cancelar as festividades públicas da virada de ano, após a preocupação causada pela nova variante da Covid-19, Ômicron. Cidades que normalmente atraem mais visitantes nesta época, como Caldas Novas, Pirenópolis e Alto Paraíso de Goiás, na Chapada dos Veadeiros, anteciparam que não haverá programação para o Réveillon.

Ministério da Saúde confirmou, nesta quinta-feira (2/12), cinco casos da nova variante da Covid-19 e oito ocorrências em investigação. Dos infectados pela nova cepa, três estão em São Paulo e dois em Brasília. Minas Gerais e SP analisam, em seus respectivos estados, um caso suspeito. Já o DF investiga outras seis possíveis contaminações pela mutação recém-detectada.

0

Alto Paraíso de Goiás

Localizada na Chapada dos Veadeiros, a cidade atrai turistas de todas as regiões do Brasil com seu clima místico e diversidade de cachoeiras e trilhas. Ao Metrópoles, a assessoria de imprensa da prefeitura municipal informou que a administração da cidade chegou a cogitar a realização dos eventos de final de ano, mas tudo foi suspenso após a descoberta da nova variante.

De acordo com a assessoria, não haverá programação de eventos públicos para o Réveillon na cidade. No entanto, estão liberadas as festas particulares, conforme o último decreto vigente no município, que prevê lotação máxima de 30% da capacidade dos estabelecimentos.

O município reforça ainda a continuidade do cumprimento dos protocolos sanitários como uso de máscara, distanciamento social e uso do álcool gel, quando possível.

Caldas Novas

A principal cidade turística de Goiás, Caldas Novas, não realizará eventos públicos nas festividades deste fim de ano. A decisão do município se deu nessa quarta-feira (01/12) após sugestão da Secretaria de Saúde local, diante das preocupações relacionadas ao aparecimento de uma nova variante da Covid-19, a Ômicron.

De acordo com o secretário de Turismo de Caldas Novas, Daniel Ribas, não haverá apresentações musicais e culturais durante as festividades de Natal e Ano Novo. Os eventos públicos que pudessem atrair aglomerações foram cancelados.

No entanto, continua vigente o atual decreto Covid que limita a capacidade de ocupação de hotéis, parques, bares, restaurantes e eventos em 75%.

Pirenópolis

Situada no Entorno do DF, a cidade de Pirenópolis anunciou que não realizará festividades para a virada do ano. Pela proximidade com a capital federal, a cidade histórica e repleta de cachoeiras e trilhas atrai muito público brasiliense em fins de semana, feriados prolongados e datas festivas como o Réveillon.

Procurada pelo Metrópoles, a assessoria de imprensa da prefeitura municipal informou que até o momento não há uma decisão em relação aos eventos privados. No entanto, deve haver um comunicado geral sobre as festas já nos próximos dias. Não há previsão de eventos públicos que atraiam público.

A cidade, inclusive, está realizando atualmente o Canto da Primavera. O evento organizado pelo Governo de Goiás prevê várias atividades e diversos shows musicais principalmente com atrações locais e nacionais que vão do sertanejo, passando por pop, MPB, rock e até música clássica. O evento segue até o próximo domingo (5/12).

Variante Ômicron

Os primeiros casos da variante Ômicron foram notificados por cientistas sul-africanos na última semana e, desde então, a cepa se espalha rapidamente pelo mundo. Até a publicação desta reportagem, havia casos registrados em 16 países.

Nesta segunda-feira (29/11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a nova linhagem do vírus causador da Covid-19 representa um “risco global muito alto” de surtos de infecção, os quais podem ter consequências graves em algumas partes do mundo.

“A Ômicron tem um número sem precedentes de mutações de pico, algumas das quais são preocupantes por seu impacto potencial na trajetória da pandemia”, disse a OMS após uma reunião de emergência com ministros da Saúde dos países do G7, em Londres, para discutir medidas capazes de conter a transmissão do vírus.

Mais lidas
Últimas notícias