Em alerta sobre Ômicron, Caldas Novas cancela festas de final de ano

Segue em vigor decreto que permite realização de eventos privados, com exigência de passaporte da vacina ou teste negativo para doença

atualizado 01/12/2021 17:51

Carnaval em CaldasDivulgação/Prefeitura de Caldas Novas

Goiânia – A principal cidade turística de Goiás, Caldas Novas, não realizará eventos públicos nas festividades deste fim de ano. A decisão do município, que atrai visitantes de todo o país, se deu após sugestão da Secretaria de Saúde local, diante das preocupações relacionadas ao aparecimento de uma nova variante da Covid-19, a Ômicron.

De acordo com o secretário de Turismo de Caldas Novas, Daniel Ribas, não haverá apresentações musicais e culturais durante as festividades de Natal e Ano Novo. Os eventos públicos que pudessem atrair aglomerações foram cancelados.

“Apesar de estarmos em um cenário estável referente ao número de casos, ao quantitativo de mortes e à necessidade de internação de Covid-19, precisamos pensar de forma antecipada quando se trata desse vírus, e é por isso que não iremos realizar nenhuma celebração na esfera pública de festividades de modo presencial no Natal e Réveillon, em Caldas Novas, incluindo a tradicional queima de fogos na virada do ano”, disse.

No entanto, continua vigente o atual decreto Covid que limita a capacidade de ocupação de hotéis, parques, bares, restaurantes e eventos em 75%.

Comitê de Enfrentamento

Durante reunião nessa terça-feira (30/11), o secretário de Saúde, Cláudio Costa, informou que será criado um Comitê de Enfrentamento às Urgências de Saúde Pública de Caldas Novas, que também vai deliberar sobre as questões de Covid-19.

“Vamos nos reunir, na próxima segunda-feira (6/12), com integrantes das Vigilâncias de Epidemiologia e Sanitária, diretores das unidades de saúde do município para efetivar eleger o novo comitê que irá avaliar não só a situação da pandemia, mas todas as questões relacionadas à saúde na cidade”, destacou Costa.

Segundo relatório da Vigilância Epidemiológica, os casos de Covid-19, caíram 66% de outubro em relação a novembro e os óbitos caíram 85,7% no mesmo período. Já a média móvel do município, se mantém abaixo de 5 casos ao dia, desde o dia 30 de outubro.

“Os números estão controlados, porém, estamos em constante análise para não sermos surpreendidos”, falou Cláudio Costa.

Variante Ômicron

Os primeiros casos da variante Ômicron foram notificados por cientistas sul-africanos na última semana e, desde então, a cepa se espalha rapidamente pelo mundo. Até a publicação desta reportagem, havia casos registrados em 16 países.

Nesta segunda-feira (29/11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a nova linhagem do vírus causador da Covid-19 representa um “risco global muito alto” de surtos de infecção, os quais podem ter consequências graves em algumas partes do mundo.

“A Ômicron tem um número sem precedentes de mutações de pico, algumas das quais são preocupantes por seu impacto potencial na trajetória da pandemia”, disse a OMS após uma reunião de emergência com ministros da Saúde dos países do G7, em Londres, para discutir medidas capazes de conter a transmissão do vírus.

No Brasil, até o momento, já foram confirmados casos da variante no Rio de Janeiro e em São Paulo. Os casos estão sendo monitorados.

Mais lidas
Últimas notícias