Motoboy desvia de escada solta na pista e morre arrastado por caminhão

Rapaz de 23 anos trafegava pela GO-040, entre Goiânia e Aparecida de Goiânia. Escada era levada no teto de um carro que estava à frente dele

atualizado 08/05/2021 17:03

rapaz morreu em acidente na go-040, entre goiânia e aparecida de goiâniaArquivo Pessoal

Goiânia – Franciel Brandão Novaes, de apenas 23 anos, morreu arrastado por um caminhão na tarde dessa sexta-feira (7/5), na GO-040, no trecho entre Goiânia e Aparecida de Goiânia.

Ele era motoboy e estava em horário de trabalho, quando foi surpreendido por uma escada que se desprendeu do teto de um carro que estava à frente dele. O veículo, um Ford Fiesta prata, transportava objetos amarrados no teto.

Conforme o apurado pelos agentes da Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito de Goiânia (Dict), a escada desgrudou e Franciel tentou desviar bruscamente para não ser atingido.

Ele pilotava uma moto Yamaha/Factor. Ao desviar, assustado, o rapaz teria perdido o controle da direção da motocicleta e colidiu com a lateral direita do automóvel.

A força da batida jogou Franciel e a moto para a pista do lado e ele foi atingido por um caminhão que passava pelo local. As imagens registradas pela polícia mostram que ele foi arrastado por uma distância de mais de 50 metros.

0
Luto e indignação

Irmãs, amigos e parentes de Franciel lamentaram a morte do rapaz nas redes sociais. Horas depois do acidente, a irmã Bianca Carneiro postou uma imagem do Franciel e escreveu que não dava para acreditar no que tinha acontecido.

“O meu menino. Sua família ama você. Você sempre será lembrado meu irmão”, expressou Bianca. O corpo do rapaz foi velado durante a madrugada na casa da mãe, em um bairro de Aparecida de Goiânia.

Colegas de profissão expressaram pesar e indignação com o acidente. Um deles publicou texto no Facebook chamando a atenção para o perigo do trecho onde Franciel foi arrastado pelo caminhão.

Segundo ele, veículos mais pesados sempre passam em alta velocidade pelo local, que fica na altura do Setor Garavelo, e não mantêm a distância mínima necessária, o que acaba colocando em risco quem trafega em veículos menores ou em motocicletas.

Últimas notícias