GO: motorista preso tem um dos recordes de álcool no organismo em 2021

Bafômetro registrou concentração cinco vezes acima do permitido (1,55mg/l). Habilitação e documento do carro estão vencidos há 10 anos

atualizado 12/04/2021 12:12

motorista bêbado faz teste do bafômetro em goiâniaReprodução

Goiânia – Com cinco vez mais álcool no organismo do que o permitido pela lei de trânsito brasileira, um motorista embriagado, de 45 anos, foi preso em Goiânia na tarde de sábado (10/4) com um dos maiores índices registrados pelo bafômetro este ano, no Brasil.

Ao soprar o bafômetro, o aparelho atestou uma concentração de 1,55 miligramas de álcool por litro de ar alveolar. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estipula como limite 0,3 mg/l.

No mês passado, um motorista que capotou um carro na BR-414, também em Goiás, apresentou o mesmo índice do caso mais recente.

O homem da ocorrência do último final de semana, que não tem habilitação para dirigir carro, conduzia um Gol prata pela GO-040, na altura do Setor Madre Germana, quando foi flagrado fazendo zigue-zague na pista.

Ele foi visto primeiro por um guarda civil metropolitano que estava de folga. O guarda acionou uma viatura da corporação e, por volta das 18 horas, uma equipe da Ronda Ostensiva Municipal (Romu) conseguiu alcançar o condutor e fazer com que ele parasse o veículo.

“Ele parou, mas não chegou nem a descer. Deitou a cabeça para o lado e quase dormiu. Ele não conseguia falar absolutamente nada”, conta o comandante da Romu, Vagner Rodrigues.

Descobriu-se que o carro que o motorista dirigia está com a documentação vencida desde 2012 e que a carteira de habilitação dele, que só permite a condução de motos, também está vencida desde maio de 2011.

Uma equipe da Polícia Rodoviária Estadual (PREGO) foi chamada para fazer o teste do bafômetro. O homem mal conseguia ficar de pé e precisou se apoiar no carro. Ele foi preso e levado para a Central de Flagrantes.

Veja imagens do momento em que ele faz o teste do bafômetro:

Saiu para beber

Dentro do carro, havia latas de cerveja próximas ao câmbio. A esposa do motorista foi até o local e disse que ele havia saído para beber com amigos. Aparentemente, ele estava retornando para casa, em Aparecida de Goiânia.

Na Central de Flagrantes, além das sanções previstas no CTB, foi aplicada uma fiança no valor um salário mínimo. O motorista, segundo o comandante da Romu, não havia feito o pagamento do valor até esta segunda-feira (12/4) e deve comparecer a uma audiência de custódia.

Até então, ele não tinha passagens pela polícia. Vagner Rodrigues acredita que, por nunca ter sido pego ou parado numa blitz, o motorista sentia-se encorajado a seguir dirigindo com os documentos vencidos e infringindo a lei.

0

Últimas notícias