Militar preso na Espanha tem ligações com traficante do DF

Segundo a Polícia Federal, a principal linha de apuração indica que ele fazia o serviço de mula para outro funcionário de alta patente

atualizado 13/10/2019 15:36

Reprodução

A Polícia Federal identificou fortes indícios de que o sargento Manoel Rodrigues, preso com 39 quilos de cocaína ao desembarcar de um avião presidencial na Espanha, tem ligações com um conhecido traficante da capital federal. As informações são do colunista do O Globo Lauro Jardim.

Segundo o jornalista, os investigadores estão convictos de que o militar não agiu sozinho. A principal linha de apuração indica que ele fazia o serviço de mula para outro militar, um oficial de alta patente.

O funcionário da Força Aérea Brasileira (FAB) foi preso na Espanha por tráfico de drogas em junho deste ano. Ele era tripulante do voo de apoio à comitiva do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que participava da Cúpula do G20, no Japão.

O brasileiro foi detido no aeroporto de Sevilha. Ele deixou a Base Aérea de Brasília no avião reserva da Presidência, com três tripulações.

O sargento está em uma cadeia pública da Espanha, onde aguarda julgamento. A situação é apurada por meio de um Inquérito Policial Militar (IPM) instaurado pela FAB. Se condenado, o militar será excluído da Aeronáutica.

Durante as investigações, a Polícia Civil e militares da FAB, acompanhados por cães farejadores, fizeram uma varredura no apartamento funcional do sargento Manoel Silva Rodrigues, na Quadra 414 da Asa Sul, Bloco K, em Brasília (DF).

Últimas notícias