Aeronáutica abre inquérito para investigar militar preso na Espanha

Sargento flagrado com 39 quilos de cocaína no Aeroporto de Sevilha é comissário de bordo em uma aeronave VC-2 Embraer 190

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 26/06/2019 20:01

O Comando da Aeronáutica anunciou, nesta quarta-feira (26/06/2019), que vai instaurar Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar todas as circunstâncias do caso que envolve o sargento Manoel Silva Rodrigues, preso na Espanha após ser flagrado nessa terça-feira (25/06/2019), no Aeroporto de Sevilha, com 39 quilos de cocaína.

Em nota, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica afirma que medidas de prevenção a esse tipo de ilícito são adotadas regularmente. “Em vista do ocorrido, essas medidas serão reforçadas”, ressalta o comunicado.

Segundo o Comando, o militar detido por suposto envolvimento no transporte de entorpecentes é sargento da Aeronáutica e exerce a função de comissário de bordo em uma aeronave militar VC-2 Embraer 190. “O militar encontra-se preso à disposição das autoridades espanholas”, ressalta.

Missão de apoio
A nota explica que o militar partiu do Brasil em missão de apoio à viagem presidencial [para participação no G20], fazendo parte apenas da tripulação que ficaria em Sevilha. Assim, ele não integraria, em nenhum momento, a tripulação do avião presidencial, uma vez que o retorno da aeronave que transporta o presidente da República não passará por Sevilha, mas por Seattle, nos Estados Unidos.

“O Comando da Aeronáutica reitera que repudia atos dessa natureza, que dá prioridade para a elucidação do caso e aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colabora com as autoridades”, destaca a nota.

Últimas notícias