MPF investiga se servidores com Covid-19 trabalharam no Ministério da Saúde

Polícia Federal conduzirá investigação sobre a dupla lotada na Secretaria Especial de Saúde Indígena

atualizado 14/05/2020 22:35

O Ministério Público Federal (MPF) pediu que a Polícia Federal instaure inquérito para apurar denúncia apresentada contra funcionários do Ministério da Saúde que teriam contraído o novo coronavírus e, mesmo infectados, continuaram trabalhando presencialmente.

Os alvos da investigação são o secretário especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva, e o chefe de seu gabinete, Paulo Henrique Lima Brito. A abertura de inquérito foi solicitada nessa segunda-feira (11/05).

Segundo o MPF, a dupla teria mantido suas atividades normalmente e nem mesmo usou proteção durante o expediente, cumprido presencialmente.

Ainda de acordo com o órgão, se o fato for confirmado, a postura dos servidores pode ter colocado em risco a saúde de vários outros funcionários públicos que mantiveram contato com eles.

Os investigados podem responder por crime contra a saúde pública. O prazo do inquérito na Polícia Federal é de 90 dias, prorrogáveis.

A reportagem tenta contato com o Ministério da Saúde. O espaço está aberto para manifestações.

0

Últimas notícias