Leia a íntegra do voto de Gilmar Mendes a favor da suspeição de Moro

O ministro afirmou que a atuação do ex-juiz da Lava Jato foi imparcial. Para ele, a força-tarefa foi "o maior escândalo da história"

atualizado 09/03/2021 17:46

Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro Gilmar Mendes votou, nesta terça-feira (9/3), a favor da suspeição do ex-juiz Sergio Moro. Com duras críticas ao ex-ministro da Justiça e aos procuradores da Operação Lava Jato, o magistrado entendeu que houve prejuízo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nos processos da força-tarefa.

“Maior escândalo da história da Justiça Federal no Brasil”, declarou, ao avaliar as ações da Lava Jato.

Gilmar Mendes também votou para que Moro seja condenado a arcar com o pagamento das custas processuais da ação.

Veja a íntegra do voto:

Voto Gilmar Mendes by Metropoles on Scribd

União Soviética e AI-5

Gilmar Mendes também comparou a atuação da força-tarefa à de uma procuradoria da extinta União Soviética. “Qualquer semelhança com uma procuradoria soviética [não] é mera coincidência. Mas não precisamos ir buscar exemplos na União Soviética. Basta olhar o nosso AI-5”, disse.

Para ele, o primeiro episódio que aponta a suspeição de Sergio Moro foi a “espetaculosa condução coercitiva” de Lula, em 2016, ordenada pelo ex-juiz.

“Era um modelo de um hediondo Estado-espetáculo de caráter policialesco”, afirmou o ministro. “Verificada a ilegalidade da prisão do paciente”, falou.

Gilmar Mendes votou no sentido de anular os atos – incluindo as provas – do processo principal como consequência da suspeição de Moro. “Não tenho políticos de predileção, agora não se pode fazer política por meio da persecução penal”, disse. O ministro também quer que Moro pague as custas processuais.

Últimas notícias