*
 

O juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, autorizou nesta quinta-feira (7/6) que José Dirceu (PT), ex-ministro-chefe da Casa Civil, cumpra pena no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. O político foi condenado a 30 anos e 9 meses de prisão na Operação Lava Jato. A informação é da GloboNews.

Os crimes cometidos por José Dirceu são: corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro, em um processo que investiga irregularidades na Diretoria de Serviços da Petrobras.

O ex-ministro se entregou à Polícia Federal (PF) em 18 de maio, após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre (RS), negar por unanimidade o último recurso na segunda instância. Ele foi levado para a Papuda, onde estava provisoriamente desde então. Agora, ele tem permissão para cumprir integralmente a sentença no complexo penitenciário da capital da República.

Derrotas na Justiça
Dirceu estava solto desde maio de 2017, após determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). O político foi preso em agosto de 2015, depois de ter sido condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, em primeira instância, pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa no esquema de corrupção da Petrobras.

O petista teve nova condenação, também por Moro, em maio de 2016: 20 anos e 10 meses de prisão – sentença confirmada pelo TRF-4 em 26 de setembro do ano passado. A Corte, contudo, aumentou a pena para 30 anos e 9 meses de reclusão.

Nesse caso, o ex-ministro é acusado de receber mesada repassada pelo lobista Milton Pascowitch. Segundo a acusação, a empreiteira Engevix pagava propina por meio de contratos fictícios feitos com a JD Consultoria, empresa de Dirceu, em troca de acordos com a Diretoria de Serviços da Petrobras.

 

 

COMENTE

Operação Lava JatopapudaJosé Dirceu
comunicar erro à redação

Leia mais: Justiça