Insatisfeito com Dodge, coordenador da Lava Jato na PGR deixa cargo

José Alfredo de Paula é um dos principais auxiliares da procuradora-geral e não teria gostado de certos posicionamentos da chefe

Foto: Valter Campanato / Valter Campanato/Agência BrasilFoto: Valter Campanato / Valter Campanato/Agência Brasil

atualizado 16/07/2019 14:18

O procurador José Alfredo de Paula deixou o cargo de coordenador do grupo de trabalho da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República (PGR). A saída foi formalizada na última sexta-feira (12/07/2019) e confirmada pela assessoria do órgão nesta terça-feira (16/07/2019). A notícia foi antecipada pelo jornal O Globo.

A decisão ocorre a dois meses do fim da atual gestão da procuradora-geral, Raquel Dodge. José Alfredo de Paula é um dos principais auxiliares da PGR, ele estaria irritado com a lentidão imposta por Dodge às investigações. De acordo com a assessoria, no entanto, o coordenador saiu por questões pessoais.

No caso do empreiteiro Léo Pinheiro, por exemplo, José Alfredo reclamava da demora da procuradora-geral em enviar a delação premiada para homologação pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). O documento foi assinado em dezembro de 2018 e concluído em fevereiro, mas permanece sob poder de Raquel Dodge.

A PGR analisa o material entregue após a assinatura do acordo, considerado muito extenso. A delação de Léo Pinheiro atinge políticos e integrantes do Judiciário. A procuradora-geral pensa em ser reencaminhada ao cargo e, portanto, depende de alguns desses políticos.

Apesar de não ter se candidatado para disputar a lista tríplice para procurador-geral da República, Raquel Dodge cogita reeleição. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) já indicou que há possibilidade de isso acontecer. “Todo mundo pode, todos que estão dentro ou fora da lista, tudo é possível, eu vou seguir a Justiça”, ressaltou o mandatário do país há um mês.

Outra controvérsia são as reportagens divulgadas pelo site The Intercept em parceria com veículos sobre mensagens trocadas entre o então juiz federal Sergio Moro e procurador da força-tarefa Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol. Há quem diga que José Alfredo considerou a chefe omissa no episódio.

A procuradora se encontra, na tarde desta terça-feira (16/07/2019), com integrantes da Lava Jato, em Curitiba. A pauta é a invasão de celulares de membros do Ministério Público e como a PGR trata esse assunto de forma institucional. Ao final, Raquel Dodge deve fazer uma manifestação pública a favor da operação.

Últimas notícias