Advogado que afrontou Lewandowski em voo comparece a protesto no STF

"Eu acho um acinte o que foi feito hoje", disse Cristiano Acioli sobre decisão de Marco Aurélio que liberou condenados em 2ª instância

atualizado 19/12/2018 19:38

Facebook/Reprodução

Os apoiadores do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), têm um novo herói: o advogado Cristiano Caiado de Acioli, de 39 anos. Cristiano ficou conhecido após abordar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowisk em um voo de São Paulo para Brasília e dizer que a Suprema Corte é “uma vergonha”. Na ocasião, o advogado foi retirado do avião e chegou a ser preso.

Acioli esteve presente na manifestação realizada, em frente ao prédio do Supremo, contra a decisão monocrática tomada nesta quarta-feira (19/12) pelo ministro Marco Aurélio Mello que determinou a soltura de todos os presos em segunda instância, incluindo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em sua passagem pelo local, ele tirou fotos e conversou com os novos “admiradores”.

Ao Metrópoles, o advogado falou que a decisão do ministro foi uma atitude de “uma criança que não está feliz com o resultado do jogo e vai embora com a bola”. O advogado teceu críticas ao magistrado afirmando em seguida: “Isso foi coisa de moleque e não de uma pessoa vivida”.

“Seria mais digno os ministros virem aqui conversar com a gente. Eu acho um acinte o que foi feito hoje”, disse, sobre a decisão de Marco Aurélio.

Últimas notícias