“Flurona”: RJ tem 17 casos suspeitos de infecção por Covid e influenza

Segundo o secretário de Saúde, os quadros são leves e estão sendo monitorados. Apenas 30% da população carioca tomou a dose de reforço

atualizado 04/01/2022 11:35

Secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel SoranzGiulia Ventura/Metrópoles

Rio de Janeiro – Aumentou para 17 o número de casos suspeitos de dupla infecção, a chamada flurona, uma junção de Influenza e Covid-19. Os dados foram confirmados pela Secretaria municipal de Saúde (SMS) nesta terça-feira (4/1).

O secretário da Saúde, Daniel Soranz, afirmou ao Metrópoles que existem mais casos suspeitos na cidade e que estão em investigação. No entanto, nenhum deles apresenta quadros graves das doenças. Um adolescente de 16 anos testou positivo para Covid-19 e influenza A, simultaneamente.

0

De acordo com Soranz, a medida necessária, no momento, é seguir com a vacinação e com as medidas restritivas estabelecidas pela prefeitura – uso de máscaras em locais fechados e exigência do passaporte vacinal em locais fechados e que possam ter aglomeração.

Até o momento, apenas 30% da população carioca tomou a dose de reforço, ideal para a proteção contra a variante Ômicron.

“Tem uma questão super preocupante em relação a Ômicron no Rio, que é o aumento do número de casos. A gente tem muitos casos suspeitos, ela já tem uma transmissão comunitária. No momento, a gente vê o aumento de positividade justamente por isso”, disse o secretário ao Metrópoles.

Recentemente, Israel confirmou o primeiro caso da dupla infecção em uma mulher que foi tratada para sintomas das duas doenças. Segundo o Ministério da Saúde israelense, a paciente, que está grávida, teve apenas sintomas leves e recebeu alta no último dia 30. A partir disso, diversos casos foram apontados por especialistas, inclusive no Brasil.

Vacinação contra Influenza

A campanha de vacinação contra a gripe na cidade do Rio foi encerrada. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde.

Segundo Soranz, a previsão é que a cidade tenha uma nova campanha em abril, para reforçar a imunização da população antes da chegada do inverno. A data já é referente ao calendário de imunizações da rede pública do município em 2022.

“O que muda agora (na vacina) são as cepas. Continua sendo H1N1, H3N2 e influenza B, mas as cepas circulantes daquela linhagem que está circulando pelos países do mundo entram. As definições são feitas junto com os principais laboratórios de pesquisa do mundo e da OMS, e definem quais são as cepas que vão ser componentes da vacina pro próximo inverno”. 

Confirma os locais onde são exigidos passaporte vacinal: 

  • bares, lanchonetes, restaurantes e refeitórios (áreas internas ou cobertas);
  • boates, casas de espetáculos, festas e eventos em geral;
  • hotéis, pousadas e aluguel por temporada;
  • salões de beleza e centros de estética;
  • academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento, clubes e vilas olímpicas;
  • estádios e ginásios esportivos;
  • cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil e pistas de patinação;
  • museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações e drive-in;
  • conferências, convenções e feiras comerciais.

Mais lidas
Últimas notícias