Redação do Enem tem como tema a falta de empatia nas relações sociais

Notícia foi divulgada pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, no Twitter; aplicação acontece nestas terça (23/2) e quarta-feira (24/2)

atualizado 23/02/2021 17:06

Gabriel Pereira/Metrópoles

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, divulgou na tarde desta terça-feira (23/2) o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 para os participantes que tiveram suas provas remarcadas e para pessoas que estão privadas de liberdade.

A divulgação foi através de uma publicação no Twitter. Veja:

O Enem é aplicado nesta terça-feira (23/3) e nesta quarta-feira (24/2) para estudantes do estado do Amazonas e de dois municípios de Rondônia. O teste também será realizado por pessoas privadas de liberdade e aqueles que perderam o exame após infecção pela Covid-19 ou por terem sido barrados nas salas de aula. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ao todo, 41.864 participantes estão inscritos.

Realizado em meio à segunda onda da pandemia no Brasil, o Enem teve abstenção recorde nas aplicações presenciais realizadas nos dias 17 e 24 de janeiro. No primeiro dia, 51,5% dos inscritos faltaram. Já no segundo, o número de abstenções chegou a 55,3%.

O exame é a principal porta de entrada para o ensino superior no Brasil. Por meio das notas no Enem, os candidatos concorrem a vagas em universidades públicas e bolsas em faculdades particulares.

Neste primeiro dia, são aplicadas provas de linguagens, códigos, ciências humanas e redação. No total, são 45 questões de cada área do conhecimento. A aplicação se encerra às 19h. Nesta quarta serão aplicadas provas de ciências da natureza e matemática.

Os participantes só poderão deixar a sala duas horas após o início da prova, às 15h30. Já a saída com o caderno de questões será permitida somente a partir das 18h30.

Últimos temas da redação do Enem:

  • 2020 – “Estigma associado às doenças mentais”;
  • 2019 – “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”;
  • 2018 – “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”;
  • 2017 – “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”;
  • 2016 – “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil” e “Caminhos para combater o racismo no Brasil”;
  • 2015 – “A persistência da violência contra a mulher no Brasil”;
  • 2014 – “Publicidade infantil em questão no Brasil”.

Últimas notícias