Eduardo Leite sinaliza possível chapa como vice de Simone Tebet

Político afirmou ter "muito respeito" pela senadora e disse que discutirá sobre a posição que assumiria na possível chapa

atualizado 04/04/2022 14:47

Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, saindo do STF após reunião sobre ICMS com a ministra Rosa Veber.Igo Estrela/Metrópoles

O ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) declarou que avalia a possibilidade de formar uma chapa eleitoral com a senadora Simone Tebet (MDB) para concorrer à Presidência da República no pleito deste ano.

A declaração ocorreu em entrevista divulgada nesta segunda-feira (4/4) pela Rádio Eldorado. O político afirmou ter “muito respeito” pela senadora e disse que precisa discutir com a parlamentar sobre qual posição cada um deles assumiria na possível chapa.

Apesar de ressaltar que ainda irá dialogar com Tebet sobre o tema, Leite pontuou que provavelmente participaria da chapa como vice-presidente.

“É muito prematuro falar em que posição cada um tem que assumir. A nossa disposição e disponibilidade tem que ser de construir – apoiando, participando na chapa como vice-presidente, se for o caso. Tudo tem que ser muito conversado, de forma a viabilizar maior capacidade eleitoral”, disse.

“Tenho muito respeito pelo nome da senadora Simone Tebet e pela sua aspiração, também legítima, de se apresentar como candidata. A gente ainda não avançou em conversas nessa direção, mas [o faremos] no momento apropriado”, ressaltou o ex-governador.

Leite afirmou que, após ter deixado o governo do Rio Grande do Sul, terá mais disponibilidade para debater a posição que ocupará na corrida eleitoral de 2022.

“Entreguei o governo na última quinta-feira. Eu estava em um processo de transição nas últimas semanas, discutindo em que posição eu me colocaria para participar dessa discussão, desse debate. E agora, com a disponibilidade maior, vou intensificar essas conversas – inclusive para conversar com a senadora Simone Tebet para, havendo disponibilidade dela, nós buscarmos entendimento”, concluiu.

PSDB

Eduardo Leite (PSDB) renunciou ao governo do Rio Grande do Sul, para tentar se viabilizar como candidato à Presidência da República – mesmo depois de perder as prévias do partido para João Doria (PSDB).

O governador paulista acusou o golpe. A movimentação de Leite, inclusive, foi um dos elementos decisivos para que Doria ameaçasse desistir da pré-candidatura ao Palácio do Planalto.

Na tarde da última quinta-feira, no ato em que anunciou a renúncia ao governo, o tucano de SP criticou explicitamente o gaúcho, afirmando que Leite teria “anseio de golpear”.

“Aqueles momentos parecem ter sido bastante tensos e intensos, esses momentos da quinta-feira. Não sei quais sentimentos embalaram a manifestação do governador João Doria. Prefiro acreditar que o sentimento que ele externou em outros momentos, de amor ao Brasil, sejam maiores do que qualquer sentimento que tenha ali se apresentado”, disse Leite à Rádio Eldorado.

0

 

Mais lidas
Últimas notícias