Eduardo Bolsonaro: questão não é mais “se” terá ruptura, mas “quando”. Veja

Deputado federal e filho do presidente subiu o tom contra instituições após operação policial mirar influenciadores bolsonaristas

redes sociais/ reprodução

atualizado 28/05/2020 1:15

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) falou várias vezes em ruptura institucional em transmissão pela internet na noite desta quarta-feira (27/05). “O problema não é mais se, mas quando [haverá uma ruptura]”, disse o filho do presidente da República. Para ele, o inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga o financiamento a uma rede de notícias falsas e ameaças a autoridades, que hoje teve uma operação mirando influenciadores bolsonaristas, é ilegal e seus responsáveis precisam ser punidos.

“Suspender esse inquérito não basta. O que o ministro Alexandre de Moraes cometeu hoje foi um crime. Temos que correr atrás e punir”, defendeu Eduardo.

“Entendo quem quer ter essa postura mais colaborativa, tentar evitar a ruptura, mas até agora não está ajudando nada ter uma postura democrática”, disse o parlamentar, prevendo que será necessário “reagir a mais abusos”.

Leia o trecho todo:

“Entendo quem tem uma postura mais moderada pra não chegar um momento de ruptura, uma momento de cisão ainda maior, eu entendo. Mas falando bem abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de se, mas sim de quando isso vai ocorrer. E não se engane, as pessoas discutem isso. Porque a gente estuda história, a gente sabe que ela se repete. Não chegou de uma hora pra outra a ditadura na Venezuela. (…) temos que pontuar, deixar a sociedade ciente do problema e depois tomar algumas atitudes.”

Veja o trecho em vídeo:

Pouco depois, disse que “quando Jair Bolsonaro for obrigado a tomar uma medida enérgica, será chamado de ditador”.

A live
Como reação às buscas e apreensões realizadas pelo STF, o influenciador bolsonarista e jornalista Allan dos Santos organizou uma transmissão pela internet com a participação do guru Olavo de Carvalho, dos deputados federais Eduardo e Bia Kicis (PSL-DF) e do médico Ítalo Marsili, que os olavistas tentam emplacar como ministro da Saúde.

O título da live é “Nunca deixe um ditador calar a sua voz”, frase que foi colocada sobre uma foto do ministro Alexandre de Moraes, do STF.

0

 

É possível ver o vídeo todo aqui:

Últimas notícias