“Ninguém fica em casa aumentando preços”, diz presidente da Petrobras

Segundo Roberto Castello Branco, os reajustes no valor do combustível são feitos em equipe, com base no mercado de petróleo

atualizado 25/02/2021 15:56

Castello BrancoTomaz Silva/Agência Brasil

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, rebateu críticas à política de preços de combustíveis da estatal e afirmou que não há exagero nos reajustes no Brasil. “Ninguém fica sentado em casa aumentando preços, é um trabalho de equipe”, disse.

As declarações foram dadas em teleconferência com analistas, durante o detalhamento dos resultados do quarto trimestre de 2020.

Ao anunciar o general da reserva Joaquim Silva e Luna para ocupar o cargo de Castello Branco na Petrobras, o Jair Bolsonaro (sem partido)  criticou o home office feito pelo atual mandatário para a empresa petroleira.

“O atual presidente da Petrobras está há 11 meses em casa, sem trabalhar, né? Trabalha, mas de forma remota. Agora, o chefe tem que estar na frente, bem como os seus diretores. Então, isso para mim é inadmissível. Descobri isso há poucas semanas”, afirmou Bolsonaro, ao afirmar que tinha “coisa a ser explicada” na empresa.

0
Mercado

Segundo Castello Branco, as decisões sobre o assunto são reflexo do mercado de petróleo e levam em conta princípios da governança.

O executivo se pronunciou nesta quinta-feira (25/2) pela primeira vez após a intervenção de Bolsonaro na estatal – ele indicou Luna e Silva para o comando da empresa, por não concordar com os reajustes de combustíveis feitos pela companhia.

Castello Branco disse ter sido acusado injustamente de falta de transparência e que “o preço dos combustíveis ainda é alvo de palpites de jogo de futebol”. Para ele, não há exagero nos preços no Brasil, embora os impostos sejam elevados.

“Falo isso baseado em estatísticas com preços de 160 países. A média dos preços do País está abaixo da média global. Mesmo se corrigirmos pela renda per capita, o preços ficam ligeiramente abaixo da média global”, afirmou, na teleconferência.

Castello Branco vestia uma camiseta com a frase “mind the gap”, que significa “cuidado com o vão” e é usada em estações de metrô em cidades de língua inglesa para alertar os passageiros sobre o vão entre o trem e a plataforma. “Gap” também pode se referir a intervalo ou à defasagem entre duas coisas.

Últimas notícias