“É maldoso quem fala que eu estava de férias”, diz Bolsonaro após alta

Presidente se defendeu de críticas de que curtia férias no Guarujá e em Santa Catarina enquanto cidades da Bahia sofriam com chuvas

atualizado 05/01/2022 13:27

Bolsonaro deixou o hospital com escolta após ficar dois dias internado em SPFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo — Depois de receber inúmeras críticas por não comparecer pessoalmente a cidades da Bahia castigadas por fortes tempestades que deixaram mortos e desaparecidos em dezembro de 2020, o presidente Jair Bolsonaro (PL) alegou nesta quarta-feira (05/01) que a maldade está em quem lhe criticou pela ausência. A declaração foi dada em uma entrevista coletiva depois que o presidente teve alta hospitalar após três dias internado.

“É maldoso quem fala que estava de férias. Dei minhas voltas de jet ski. Dei meus cavalos de pau lá”, respondeu Bolsonaro ao falar das viagens ao Guarujá, antes do Natal, e a Santa Catarina, com passeios por praias e pelo parque Beto Carreiro, antes de ser internado.

0

Bolsonaro, que chegou a sobrevoar a região antes de viajar, alegou que ministros compareceram à Bahia e que destinou recursos para reconstrução de rodovias. O presidente teve alta médica no hospital Vila Nova Star, Zona Sul de São Paulo, onde tratou uma suboclusão intestinal, com uma sonda gástrica e antibióticos.

Mais cedo, às 8h40 desta quarta-feira, Bolsonaro tinha avisado no Twitter que teria alta hospitalar. O aviso foi dado com uma foto em que estava cercado pelos médicos que lhe atenderam.

“Tudo posso naquele que me fortalece”, declarou Bolsonaro no Twitter.

Internação

O presidente da República foi internado para tratar uma obstrução intestinal que foi diagnosticada depois que ele passou mal de férias em Santa Catarina no último domingo. No tratamento, foram prescritos antibióticos e ele foi submetido a uma sonda gástrica para desobstruir o intestino. Ele foi ainda submetido a uma dieta líquida antes de se recuperar.

Na última terça-feira (4/1), o hospital divulgou boletins para informar que o presidente tinha retirado a sonda nasogástrica após ter evoluído com boa aceitação da dieta líquida ofertada durante o dia. De acordo com o texto, o quadro de suboclusão intestinal do presidente se desfez; a instituição reiterou que não há necessidade de submetê-lo a cirurgia.

O cirurgião Antônio Macedo, que operou o político devido à facada sofrida em um comício de 2018, chegou ao hospital por volta das 6h de terça-feira (4/1) para analisar o quadro clínico do mandatário, que já recebia assistência da equipe médica. O profissional veio em um voo fretado das Bahamas, onde ele passava suas férias.

Na madrugada de segunda-feira, o presidente interrompeu as férias no litoral catarinense e deu entrada no hospital na capital paulista, em que já ficou internado em outras ocasiões.

0

Bolsonaro ficou em um andar isolado para ele no Vila Nova Star, hospital privado no bairro da Vila Nova Conceição, Zona Sul de São Paulo. O mandatário interrompeu suas férias no Forte Marechal Luz, em São Francisco do Sul (SC), após sentir desconforto abdominal, e pegou um voo fretado com destino a Congonhas, onde desembarcou por volta da 1h30.

O presidente já passou por seis cirurgias relacionadas ao episódio da facada. Em julho do ano passado, foi internado no mesmo hospital e também recebeu o diagnóstico de obstrução intestinal. Chegou a ser cogitada cirurgia, mas, por fim, indicou-se uma dieta.

Mais lidas
Últimas notícias