Covid-19: 1,5 milhão de doses da Janssen chegam ao Brasil

Quantitativo equivale a metade das 3 milhões de unidades anunciadas no início do mês pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

atualizado 22/06/2021 12:16

vacinação são pauloFábio Vieira/Metrópoles

O Brasil recebeu, na manhã desta terça-feira (22/6), 1,5 milhão de doses da vacina Janssen contra a Covid-19. O avião com os fármacos pousou no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 9h.

O quantitativo é menor do que o anunciado no início do mês pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. De acordo com o cardiologista, a pasta havia antecipado a chegada de 3 milhões de unidades do imunizante.

A entrega estava prevista para a última semana, mas a Janssen não cumpriu o prazo estabelecido para o envio. Na noite de segunda-feira (21/6), a empresa enviou a remessa com apenas metade das doses anunciadas.

Ao acompanhar a chegada dos fármacos, Queiroga ressaltou que os novos imunizantes são “uma dose de esperança para a população brasileira”. O cardiologista também reforçou a meta de vacinar, até setembro, toda a população adulta do país.

“Vamos trabalhar em parceria para que consigamos vencer essa dificuldade sanitária que afeta essa sociedade. Mais 1,5 milhão de doses de esperança para o povo brasileiro”, disse.

0

A vacina da Janssen é eficaz contra a Covid-19 com apenas uma aplicação — portanto, 1,5 milhão de doses equivalem a 1,5 milhão de pessoas protegidas. O país tem contrato firmado com a farmacêutica para o fornecimento de 38 milhões de unidades do fármaco.

No dia 12 de junho, Queiroga anunciou que a farmacêutica reduziu em 25% o valor do contrato de 38 milhões de doses. Com a mudança, o governo federal economizou aproximadamente R$ 480 milhões do investimento inicial, que era de R$ 2,07 bilhões. O custo de cada unidade da vacina será de US$ 10.

O presidente da Janssen no Brasil, Roy Benchimol, também participou da chegada das vacinas ao país. Ele lamentou as mortes por Covid-19 e agradeceu aos pesquisadores que desenvolveram o fármaco.

“É um imunizante que vai ajudar a combater a pandemia no país. Não podemos esquecer neste momento de lembrar todos os funcionários da Janssen, das autoridades, dos voluntários, pesquisadores e todos que trabalharam para esse momento acontecer”, afirmou.

Vacina da Janssen

A data de chegada dos imunizantes era preocupação de alguns gestores estaduais, tendo em vista que o prazo de validade das vacinas termina no dia 27 de junho. Na última segunda-feira (14/6), no entanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a ampliação da vigência.

Agora, os imunizantes podem ser utilizados em um período de até quatro meses e meio, em temperatura entre 2°C e 8°C. O prazo de expiração, anteriormente, era de três meses. O pedido de ampliação foi feito em 10 de junho, e a vacina está aprovada para uso emergencial desde 31 de março.

Para a decisão, a Anvisa considerou os estudos de qualidade apresentados pela empresa e a determinação do FDA (órgão equivalente à agência nos Estados Unidos) sobre o assunto. Meiruze Freitas, diretora relatora do pedido, afirma que a aprovação permite ampliação imediata do acesso ao imunizante.

Últimas notícias