Caso Kathlen: família presta depoimento em delegacia no Rio

Avó, mãe, pai e namorado de designer morta por bala perdida na zona norte carioca chegaram à divisão de homicídios

atualizado 11/06/2021 11:57

Aline Massuca/ Metrópoles.

Rio de Janeiro – A família da designer Kathlen Abreu, de 24 anos, grávida de 4 meses e morta com um tiro de fuzil no tórax em tiroteio na zona norte carioca, chegou para prestar depoimento na Delegacia de Homicídios da Capital, zona oeste, na manhã desta sexta-feira (11/6).

Os parentes entraram em silêncio. Entre eles estava Sayonara Fátima, a avó, que estava ao lado de Kathlen no momento da ação policial na comunidade do Lins de Vasconcelos, na terça-feira (8/6).

Mãe, pai, namorado e avó de Kathlen, jovem grávida que foi morta no Lins, chegam para prestar depoimento na Divisão de Homicídios
Avó de kathlen, Sayonara Fátima, presenciou momento do tiro
Familiares de Kathlen chegaram à delegacia em silêncio e não comentaram o caso com a imprensa

Ela presenciou o momento em que a neta foi baleada numa suposta troca de tiros entre policiais militares e bandidos da região.

A mãe, Jaqueline Oliveira, o pai, Luciano Gonçalves, e o namorado, Marcelo Ramos, também estão na delegacia para depor sobre o caso.

Nove dos 12 policiais que participaram da operação já foram ouvidos pela equipe de investigação.

A polícia apreendeu 12 fuzis e 9 pistolas dos policiais que participaram da ação para saber se o tiro partiu de uma das armas.

O cabo Marcos Felipe da Silva Salviano admitiu ter disparado cinco vezes com seu fuzil em depoimento. Ele afirmou ainda que o cabo Friad atirou outras duas vezes também com um fuzil.

Integrante da Unidade de Polícia Pacificadora, Salviano alegou que atirou porque viu quatro criminosos armados – um deles estaria com um fuzil, na versão do policial.

Últimas notícias