Caso de tortura: ex-funcionária de mercado ouviu pedidos de socorro

A mulher teria se aproximado e batido na porta quando ouviu para "não meter o nariz onde não era chamada"

ReproduçãoReprodução

atualizado 21/09/2019 13:38

Uma ex-funcionária do supermercado Extra Morumbi contou ter ouvido pedidos de socorro quando trabalhava no local, em 2018, após um vídeo em que mostra um homem ser torturado vir à tona nesta semana. Nas imagens, a vítima aparece sentada, com a calça abaixada, enquanto leva choques. As informações são do G1.

“O rapaz gritava bastante, pedia socorro e para parar”, contou. A mulher, que preferiu não ter o nome revelado, não sabe se os gritos que ouviu são do homem que aparece nas imagens. Ela teria se aproximado e batido na porta quando ouviu para “não meter o nariz onde não era chamada'”.

Na ocasião, a ex-funcionária chamou a polícia. Os agentes chegaram ao local cerca de 10 minutos depois e levaram o homem.

Nessa sexta-feira (20/09/2019), o Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito para apurar o caso de tortura no supermercado. No vídeo, os agressores obrigam o homem a falar: “Galera, não rouba mais no Extra Morumbi”. Em seguida, eles batem nas mãos dele com um cabo de vassoura. Na sequência, a vítima começa a tremer e leva choques.

Em nota, o Extra informou que iniciou imediatamente uma investigação interna para apurar o ocorrido e tomar as providências necessárias. “O supermercado decidiu pelo desligamento do responsável pela área de prevenção da loja mencionada”, diz a nota.

“A empresa de segurança e os seguranças envolvidos foram afastados das operações”, informa o supermercado. De acordo com a assessoria, apurações preliminares indicam que o fato ocorreu em março de 2018, na loja Extra Morumbi.

Últimas notícias