Bolsonaristas perdem seguidores e acusam Twitter: “Plataforma bolivariana”

Perfis da direita conservadora relatam a perda de milhares de seguidores nas redes sociais nesta segunda-feira (14/6)

atualizado 14/06/2021 16:09

TwitterUnsplash

Usuários do Twitter no Brasil estão percebendo ao longo desta segunda-feira (14/6) o sumiço de parte de seus seguidores na rede social. O fenômeno atinge de maneira mais intensa perfis ligados ao conservadorismo bolsonarista.

“Conservadores mais uma vez perdendo milhares de seguidores no Twitter sem nenhuma explicação plausível”, reclamou o assessor da presidência da República Filipe Martins, em postagem na própria rede.

“Plataforma bolivariana”, acusou o ex-assessor de Bolsonaro Arthur Weintraub, hoje secretário na Organização dos Estados Americanos (OEA). “Red bird [pássaro vermelho] agindo”, atacou o deputado estadual mineiro Bruno Engler,.

Veja as reclamações dos bolsonaristas:

0

O secretário nacional de Incentivo e Fomento à Cultura, André Porciuncula, que recentemente admitiu que vai armado para o trabalho em Brasília, reclamou de perder seguidores e aproveitou para reforçar a ideia, que já circula no governo, de regular as redes sociais. Veja:

Tuíte do secretário André Porciuncula

O Metrópoles procurou a assessoria de comunicação do Twitter no Brasil para questionar a empresa sobre alguma ação específica de combate a contas inautênticas, mas a empresa respondeu de maneira abrangente.

“Com o objetivo de proteger a integridade e a legitimidade de conversas em seu serviço, o Twitter regularmente solicita que contas com comportamentos suspeitos em todo o mundo confirmem detalhes como senha ou número de celular, comprovando que existe uma pessoa por trás delas”, informou a empresa em nota. “Até que cumpram essa etapa de confirmação, as contas ficam temporariamente desabilitadas, com funcionalidades limitadas, e deixam de entrar no cálculo para contagem de seguidores. Isso significa que esse número pode oscilar quando fazemos essas checagens regulares globalmente”, diz ainda o texto.

Últimas notícias