Avião para buscar vacina contra Covid-19 na Índia decola nesta quinta

Aeronave vai trazer para o Brasil dois milhões de doses do imunizante produzido pela Astrazeneca em parceria com a Oxford

atualizado 13/01/2021 14:10

ampola da vacina de oxfordGareth Fuller - WPA Pool / Getty Images

Um avião decola do Brasil, na noite desta quinta-feira (14/1), para buscar dois milhões de doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, na Índia.

Um Airbus A330neo, a maior aeronave da companhia aérea Azul, vai decolar de Recife (PE) às 23h, rumo à cidade indiana de Mumbai para buscar a carga estimada em 15 toneladas.

“Serão 15 horas de voo, sem escalas, em um trajeto de mais de 12 mil quilômetros. O voo deve chegar ao Brasil no dia 16, pousando no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, por volta das 15h”, informou a Azul.

Por sua vez, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, disse nesta manhã, em pronunciamento à imprensa, que o voo sairia ainda hoje. O militar também garantiu que a imunização no país começará em janeiro.

“Hoje, decola o avião para ir buscar dois milhões de doses na Índia. É o tempo de viajar, apanhar e trazer. Já está com o documento de exportação pronto. Data de decolagem: dia 16”, disse.

No total, oito milhões de doses estão previstas para serem aplicadas em janeiro. Além da vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, o governo planeja distribuir seis milhões de doses da Coronovac.

“As seis milhões de doses do Butantan [vacina Coronavac] estão prontas, guardadas em Guarulhos. Então, são oito milhões de doses em janeiro”, disse o general das Forças Armadas.

Ele disse que os imunizantes serão distribuídos logo após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A autarquia deverá se pronunciar neste domingo (17/1) sobre o tema.

0

“Quando a Anvisa concluir a análise de segurança e eficácia, três ou quatro dias depois estamos distribuindo a vacina no Brasil. Ponto. A Anvisa vai se pronunciar no dia 17. Botem aí os números para frente”, disse.

No entanto, o ministro considerou a possibilidade de a Anvisa retardar a aprovação. “Se a Anvisa se alongar para o dia 22, botem os números para frente. Mas vai ser em janeiro”, prosseguiu.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) garantiu, em 2 de janeiro, a permissão da Anvisa para importar dois milhões de doses prontas do imunizante da AstraZeneca, fabricadas pelo Instituto Serum.

A fundação encaminhou, no último dia 8, pedido à Anvisa para o uso emergencial da vacina. A Anvisa tem 10 dias, após o recebimento dos documentos, para realizar a análise e autorizar o imunizante.

Últimas notícias