Atirador de Paracatu tem alta e é levado para presídio em Minas

Ele estava internado desde a terça-feira, depois de levar um tiro na clavícula disparado por um policial militar que o confrontou

Andre Borges/Esp. MetrópolesAndre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 25/05/2019 21:30

Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, que matou a ex-namorada e depois assassinou outras três pessoas no interior de uma igreja na cidade de Paracatu, noroeste de Minas, recebeu alta hospitalar neste sábado (25/05/2019), de acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil. O homem foi levado para o presídio da cidade.

Na última terça-feira, Rudson matou a ex-namorada, Heloísa Vieira Andrade, de 59 anos, e outras três pessoas: Antônio Rama, de 67 anos, Marilene Martins de Melo Neves, de 52, e Rosângela Albernaz, de 50.

O autor dos crimes matou a ex-namorada com um golpe de canivete no pescoço. A mulher estava na casa de parentes de Rudson e orava ao lado da mãe e da irmã do criminoso. As outras três vítimas foram mortas a tiros na Igreja Batista Shalom, a três quarteirões do local onde ele matou a ex-namorada.

Rudson estava internado desde a terça-feira, depois de levar um tiro na clavícula disparado por um policial militar que o confrontou dentro da igreja. As investigações iniciais apontaram que um desentendimento entre o pastor da igreja e Rudson pode ter sido o motivo que levou o autor dos crimes a assassinar as quatro pessoas.

Uma das vítimas, Antônio Rama, é pai do pastor da igreja. Rudson, que tem histórico de dependência química, teria sido afastado da comunidade religiosa e não aceitou a decisão. Depois do ataque, a Polícia Militar apreendeu o revólver usado por Rudson na igreja e seis munições não deflagradas.

Últimas notícias