metropoles.com

Além de Cid, defesa de Bolsonaro quer jogar culpa em Wassef

Estratégia é isolar advogado e eximir o ex-presidente no desvio das joias; Cid assumiria o planejamento do resgate

atualizado

Compartilhar notícia

Igo Estrela/Metrópoles
Foto colorida do presidente da República, Jair Bolsonaro, e o advogado Frederick Wassef durante coletiva sobre combustíveis no palácio do planalto -- Metrópoles
1 de 1 Foto colorida do presidente da República, Jair Bolsonaro, e o advogado Frederick Wassef durante coletiva sobre combustíveis no palácio do planalto -- Metrópoles - Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Os advogados de Jair Bolsonaro (PL) e de sua mulher Michelle adotaram uma nova estratégia depois dos depoimentos à Polícia Federal (PF) na última quinta-feira (31/08). Na ocasião, houve um grupo que ficou em silêncio e outro que falou. Um dos que falaram foi o advogado Frederick Wassef –que “falou demais” na avaliação da defesa do ex-presidente.

Wassef falou por quatro horas na sede da PF em São Paulo, enquanto o seu chefe ficou em silêncio em Brasília. Além de Bolsonaro e Michelle, Fábio Wajngarten (um dos advogados de defesa) e Marcelo Câmara também ficaram calados. Falaram Mauro Cid, Mauro Lourena Cid e Osmar Crivelatti.

O blog apurou que a estratégia do silêncio foi repassada pelos advogados de Bolsonaro também a Câmara e a Lourena Cid. O general do Exército negou o plano. Seu filho, Mauro Cid, falou por 10 horas, assumindo todo o planejamento de resgate das joias nos Estados Unidos. Nesta confissão, o ex-ajudante de ordens estaria mancomunado com Frederick Wassef.

O advogado de Mauro Cid, Cezar Bitencourt, está atuando para afastar a responsabilidade de Bolsonaro, e não a de seu cliente. Ontem (01/09), disse ao G1 que o ex-ajudante de ordens “assumiu tudo”. “Não tem nenhuma acusação de corrupção, envolvimento de Bolsonaro, envolvimento ou suspeita de Bolsonaro”, disse.

Sobrou para Wassef. O advogado foi apontado como o operador do esquema de recompra das joias. Ele já admitiu que foi aos Estados Unidos para recuperar o Rolex de ouro branco e diamantes. Em seu depoimento, Wassef também falou sobre o outro relógio desviado, da marca Patek Philippe, segundo apurou o blog. Essa fala foi reprovada pela defesa de Bolsonaro.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comBlog do Noblat

Você quer ficar por dentro da coluna Blog do Noblat e receber notificações em tempo real?

Notificações