À revelia de Lira, oposição prepara exibição de “Marighella” na Câmara

Mesmo sem resposta do presidente, comissão chama artistas do filme e distribui convites a movimentos sociais e terceirizados da casa

atualizado 06/12/2021 22:32

Divulgação

Mesmo sem uma resposta até agora do presidente Arthur Lira (PP-AL), se autoriza ou não a exibição do filme “Marighella” na Câmara, deputados da oposição da Comissão de Legislação Participativa estão tomando todas as providências para a sessão, programada para acontecer amanhã à tarde, no auditório Nereu Ramos.

A tendência é Lira aceitar a exibição do filme, após a pressão dos parlamentares da comissão e a divulgação da resistência do presidente da Câmara em realizar a sessão.

O comando da comissão, presidida pelo petista Waldenor Pereira (BA), começou a distribuir 150 convites e a providenciar passagens para os atores que irão participar de um debate após a exibição. Estão sendo convidados integrantes dos movimentos sociais, como o MST e o MTST, e 50 servidores terceirizados, casos de vigilantes, copeiras, garçons e serventes.

Caso o filme seja mesmo exibido, a sessão ocorrerá no auditório Nereu Ramos, o maior da Câmara, e que tem capacidade para 300 pessoas. Mas com as restrições sanitárias, os organizadores decidiram reduzir para a metade e será exigida a comprovação da vacinação contra a Covid-19 para o ingresso do convidado nas dependências.

A lista desses convidados já foi até enviada para o Departamento de Polícia Legislativa, que checa o nome dessas pessoas na entrada.

Os dois atores que deverão comparecer são Luiz Carlos Vasconcelos, que interpreta Joaquim Câmara Ferreira, que atua ao lado do guerrilheiro Carlos Marighella, interpretado por Seu Jorge. Também estará presente Maria Marighella, neta do protagonista, e que tem uma atuação na história no papel de mulher do guerrilheiro. Maria é vereadora em Salvador, pelo PT.

No mesmo dia, está confirmada para a manhã uma culto evangélico no auditório.