MPDFT denuncia homem que tentou matar mulher na frente da filha

Segundo a denúncia, o feminicídio só não se consumou porque a vítima não foi atingida em região de letalidade e acabou socorrida prontamente

iStock/Foto IlustrativaiStock/Foto Ilustrativa

atualizado 17/07/2019 21:43

A Promotoria de Justiça de Águas Claras denunciou, nesta quarta-feira-feira (17/07/2019), Jesus de Oliveira Silva por tentativa de feminicídio triplamente qualificado. A vítima participava de uma festa familiar quando foi esfaqueada pelo companheiro no pescoço.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o homem supostamente agiu por motivo fútil, uma discussão banal com a mulher, e teria utilizado de recurso que dificultou a defesa da vítima, porque a atacou de forma inesperada, bem como praticou o crime contra a mulher por razões da condição do sexo feminino. O crime foi presenciado pela filha de 11 anos do casal.

Entenda o caso

O caso ocorreu na madrugada do dia 23 de junho, no Setor Habitacional Arniqueiras, em Águas Claras. O casal estava em uma festa na casa da irmã da vítima, quando a mulher se dirigiu à residência vizinha, onde ocorria uma outra festa.

Nesse momento, ela foi abordada pelo companheiro, e começaram uma discussão. Ao ser empurrado, o denunciado sacou uma faca que trazia escondida na cintura e desferiu vários golpes. O homem foi preso em flagrante pela polícia.

Segundo o MPDFT, o feminicídio só não se consumou porque a vítima não foi atingida em região de letalidade imediata e acabou socorrida prontamente. Na denúncia, o promotor de Justiça Marcelo Henrique de Azevedo Souza defende que o crime foi praticado contra a mulher por razões da condição do sexo feminino em contexto de violência doméstica.

Em 2019, o Metrópoles iniciou projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país.

Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Últimas notícias