Segunda gravidez de Meghan Markle é considerada de risco. Entenda

A norte-americana espera uma menina e se enquadra na lista de mães com gestação tardia. Veja como a idade afeta o parto

atualizado 18/05/2021 14:52

Meghan MarkleHarpo Productions/Joe Pugliese via Getty Images

Em fevereiro deste ano, Meghan Markle e o príncipe Harry encantaram o mundo ao anunciar que estão esperando o segundo filho do casal, depois de a  duquesa ter sofrido um aborto espontâneo, no verão passado. A norte-americana, que completa 40 anos em agosto, aguarda a chegada de uma menininha nos próximos meses.

A duquesa tinha 37 anos quando deu à luz o primogênito, Archie. Embora sua idade possa ter “levantado sobrancelhas” nas últimas gerações, gerar dois filhos depois dos 30 anos é cada vez mais comum atualmente. No entanto, para a comunidade médica, qualquer gestação depois dos 35 anos é considerada de “alto risco”, e requer mais atenção e cuidado.

Nada muda do dia para a noite quando a mulher completa essa idade. Inclusive, dependendo do estado de saúde, é possível que seja uma gestação mais tranquila do que em casos de mulheres mais novas. Porém, a faixa etária representa uma espécie de ponto crítico, quando a gestação pode ser mais desafiadora e alguns riscos aumentam.

“Há uma diminuição notável na fertilidade feminina, começando aproximadamente aos 32 anos, e esse declínio se torna muito mais significativo após os 37 anos”, disse a obstetra Belinda Yauger ao portal Insider.

Gestantes acima dos 35 estão mais vulneráveis a algumas doenças, como hipertensão e diabetes gestacional, por exemplo. Outro risco está ligado ao envelhecimento dos óvulos. A mulher já nasce com todas as células do ovário e, com o tempo, elas envelhecem. O resultado é um aumento progressivo de embriões que se formam com alterações genéticas, como a síndrome de Down.

Cuidados necessários

Recentemente, Meghan foi desaconselhada pela equipe médica a viajar para participar do funeral do príncipe Philip, avô de Harry. De acordo com especialistas, além do risco de contrair a Covid-19, a viagem seria perigosa devido a turbulências, que podem afetar o desenvolvimento do bebê.

0

Além do cuidado com longas viagens, mamães acima dos 35 anos precisam estar mais atentas. É fundamental manter todas as consultas pré-natais em dia e, em alguns casos, o médico pode até recomendar visitas ao consultório com mais frequência – para ajudar a identificar quaisquer problemas e tratá-los.

É sempre importante ressaltar outros cuidados básicos e fundamentais em qualquer gestação – comer bem, praticar atividades físicas, dormir e controlar o estresse –, atitudes que ajudam a manter a gravidez e o parto saudáveis, independentemente da sua idade. “Se você está saudável e está bem, não deveria temer a gravidez”, garante Daniel Roshan, obstetra materno-fetal de alto risco.

Últimas notícias