Cinco impactos drásticos do álcool no organismo e como minimizá-los

Os drinques podem, por exemplo, alterar a forma como o corpo processa a gordura, comprometendo o processo de emagrecimento

atualizado 03/08/2022 20:18

Bebidas alcóolicas doces Jordan Lye/Getty Images

Quer perder peso, mas sente dificuldade em abrir mão da cervejinha? O termo “barriga de cerveja” não existe à toa. Ele remete ao abdômen saliente, típico de quem gosta de exagerar na bebida.

A ciência ainda não conseguiu comprovar a relação direta entre o álcool e a obesidade. Mas, para se ter ideia, estima-se que 42% dos norte-americanos sejam obesos. Coincidentemente ou não, 42% dos estadunidenses afirmam beber álcool.

A seguir, conheça cinco impactos drásticos do álcool no organismo:

1. Altera a forma como o corpo processa a gordura

O álcool é uma toxina e, para ser metabolizado, conta com o auxílio do fígado. O órgão, quando detecta a ingestão de drinques, deixa de realizar suas funções elementares, como processar a gordura, para concentrar toda sua energia na metabolização do álcool.

Em resumo, ao ingerirmos bebidas alcoólicas, adormecemos os mecanismos de queima de gordura.

2. Aumenta o apetite

Pesquisas já revelaram que a ingestão de álcool pode afetar os hormônios relacionados à fome, conhecidos como grelina e leptina. Um estudo com camundongos, por exemplo, conseguiu associar a ingestão de álcool a uma maior ingestão de calorias. Ou seja, se quiser emagrecer, diga não aos drinques.

3. Dificulta a escolha por alimentos saudáveis

Ingerir álcool pode fazer com que você tome decisões menos inteligentes, inclusive na hora de comer. Isso acontece devido ao efeito inibitório do álcool, que compromete a tomada de decisões do cérebro. Não raro, pessoas embriagadas comem alimentos que normalmente evitariam, como doces e frituras.

Ainda devemos levar em consideração que as chances de uma pessoa acordar de ressaca e ter um estilo de vida saudável são mínimas. O enjoo e a indisposição costumam falar mais alto.

4. Eleva a ingestão calórica

O álcool, por si só, é uma bebida calórica, uma vez que possui 7 calorias por grama — perdendo apenas para a gordura, com 9 calorias por grama. Logo, a bebida é uma substância calórica, ainda que você evite os drinques açucarados e opte por versões puras, como whisky.

5. Pode alterar a produção hormonal adequada

O álcool também pode afetar o sistema endócrino, aumentando a produção do cortisol — conhecido como o hormônio do estresse. Ele ainda possui efeito estressor para o organismo e pode desregular os níveis adequados do cortisol, favorecendo o ganho de peso.

Agora, confira dicas para minimizar os efeitos nocivos dos drinques no organismo:

  • Escolha sabiamente a bebida. Evite drinques com adição de xarope ou misturas açucaradas. Eleja opções com baixo valor calórico. Opte por bebidas com chá, por exemplo;
  • Evite beber de estômago vazio para não ter ressaca;
  • Hidrate-se. Não esqueça de beber um copo de água para cada copo de bebida. Isso fará com que você beba menos;
  • Diminua a frequência das bebidas. Deguste drinques apenas em ocasiões sociais.

(*) Thaiz Brito é nutricionista pós-graduanda em Nutrição Esportiva Clínica

Mais lidas
Últimas notícias