Especialistas indicam 3 tendências de tatuagens para você se inspirar

Se inspire e conheça três estilos populares de tatuagem que não param de ser procurados nos estúdios

atualizado 04/06/2021 11:59

TatuagemGetty Images

Quando o assunto é tatuagem, um universo de possibilidades se abre à frente de quem tem o costume de marcar o corpo. A prática milenar, que já foi alvo de bastante preconceito, se consolida, cada vez mais, como um importante artifício cultural da sociedade contemporânea.

Muitas pessoas recorrem às tattoos para se sentirem representadas no mundo, reforçarem crenças e ideais, prestarem homenagem a algo ou a alguém importante, ou apenas para embelezar o corpo.

Abstrato, realista, fine line, aquarela, tribal, pontilhismo, blackout, geométrico, minimalista… Alternativas não faltam. O Metrópoles listou três estilos de tatuagens que estão em alta para você se inspirar, caso esteja planejando dar um pulinho no estúdio em breve. Leia, agora!

Fine line

A estética fine line caiu nas graças das pessoas por ser um estilo discreto, elegante e bastante versátil, perfeito para quem deseja se jogar no mundo das tatuagens, mas ainda sente medo de fazer algo muito extravagante.

“São tattoos com traços mais finos e precisos. Essas características as tornam leves e, ao mesmo tempo, sofisticadas”, afirma a tatuadora Rafaela Leonel, especializada na tendência.

O que mais impressiona no estilo é a delicadeza e o rigor do traçado, que cai bem em desenhos mais minimalistas. Que tal apostar na tendência na próxima vez em que for rabiscar o corpo?

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0
Aquarela

Como o próprio nome sugere, a principal característica das tattoos desse estilo são os desenhos mais fluidos, que simulam o efeito de respingos de tinta, e parecem ter sido pintados à mão. “São tatuagens que imitam a estética da aquarela no papel”, resume a carioca Fernanda Povill, que trabalha com a técnica há quatro anos.

Geralmente delicada, e não necessariamente discreta, essas tattoos fazem sucesso, principalmente, entre o público feminino.

“Pela técnica estar associada à água, é um estilo que remete a características mais sentimentais, com apelo afetivo. É essa sensibilidade que atrai as pessoas”, revela Fernanda.

Se engana quem acha que se chega a esse resultado simplesmente diluindo tinta na água. “Na verdade, essa gradação é feita com diferentes tipos de pigmentos sobrepostos e técnicas específicas e complexas de utilização da agulha”, explica a tatuadora.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Como os desenhos nessa “vibe” são mais transparentes, tendendo a desbotarem com mais facilidade, Fernanda salienta a importância de tomar bastante cuidado, sobretudo na hora de se expor ao sol.

Blackout

Outra tendência cheia de personalidade que tem ganhado cada vez mais adeptos é a blackout tattoo, que cobre grandes partes do corpo com blocos sólidos de tinta preta.

“Originalmente, é uma opção para quem já tem várias tatuagens e camadas de tinta na pele. Nosso corpo é limitado em área, então, a gente chega em um ponto em que não há mais espaço para novos desenhos. Muita gente opta pelo blackout, então, para cobrir tatuagens antigas”, esclarece o tatuador Daniel Matsumoto.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Se decidir por uma tatuagem blackout exige calma, maturidade e autoconhecimento. O artista considera a estética uma etapa de experimentação mais avançada de quem já tem a cultura de ter o corpo tatuado, e não somente um estilo.

“Aqui, já entramos em uma esfera de modificação corporal mais extrema. Tento auxiliar os clientes a pensarem bem a decisão, pois acho que é uma fase final, depois de você já ter vários desenhos. Acho importante desconstruir essa cultura imediatista e respeitar o nosso tempo e a nossa jornada, porque só temos um corpo. Então, é legal explorar vários estilos de tatuagem e, depois, eventualmente, apostar nas blackout tattoos“, sugere Daniel.

O especialista ainda reitera a necessidade de se buscar estúdios e profissionais experientes na estética, já que a sua execução não é simples e fácil como pode parecer.

Mais lidas
Últimas notícias