Vacina da Pfizer será testada em grávidas e crianças maiores de 5 anos

Pesquisa com gestantes avaliará a segurança do imunizante nos bebês das mulheres vacinadas e a transferência de anticorpos para eles

atualizado 19/02/2021 12:58

iStock

A Pfizer ampliou os testes clínicos da vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a Biontech. As empresas informaram, nessa quinta-feira (18/2), que incluíram mulheres grávidas no estudo sobre segurança e eficácia do imunizante e, em breve, será a vez das crianças na faixa etária de 5 a 11 anos.

Cerca de 4 mil gestantes saudáveis, com 18 anos ou mais, serão voluntárias nas fases 2 e 3 do estudo internacional. Elas serão vacinadas entre a 24ª e a 34ª semanas de gravidez – parte das mulheres receberá as duas doses da fórmula da Pfizer/Biontech com intervalo de 21 dias e, em outro grupo, será aplicado um placebo.

Os pesquisadores avaliarão também a segurança do imunizante nos bebês das mulheres grávidas vacinadas e a transferência de anticorpos potencialmente protetores para eles. Os recém-nascidos serão acompanhados por seis meses após o parto. Os resultados devem ser divulgados no quarto trimestre de 2021.

Em um comunicado, William Gruber, vice-presidente sênior de pesquisa e desenvolvimento clínico de vacinas da Pfizer, destacou que as gestantes com Covid-19 apresentam taxas mais altas de agravamento da doença, além de maior risco de complicações na gravidez do que as mulheres saudáveis. Esse foi um fator relevante para incluí-las no estudo.

“É fundamental que desenvolvamos uma vacina que seja segura e eficaz para essa população”, disse Gruber.

Testes com crianças

Um estudo de fase 3 em andamento desde outubro avalia a segurança e eficácia do imunizante em adolescentes com idade entre 12 e 15 anos. A expectativa é que os dados sejam submetidos às autoridades regulatórias no segundo trimestre de 2021.

Cientistas das duas empresas devem começar, nos próximos meses, estudos adicionais com crianças com idade entre 5 e 11 e, mais tarde, com crianças menores de 5 anos. Por fim, as empresas planejam incluir as pessoas com sistema imunológico comprometido.

Veja como são as etapas de estudo das vacinas:

0

Últimas notícias