Saúde vai abrir novo pregão para comprar 290 milhões de seringas

Secretário-executivo afirma que a pasta ainda está aprendendo a fazer esse tipo de compra por isso a última licitação fracassou

atualizado 13/01/2021 21:30

seringa vacinaKarl-Josef Hildenbrand/ Picture alliance /GettyImages

Depois do fracasso para adquirir as seringas e agulhas necessárias para a campanha de vacinação contra a Covid-19, o Ministério da Saúde irá lançar novo pregão eletrônico para tentar a compra de 290 milhões de seringas e agulhas.

Segundo Élcio Franco, secretário-executivo da pasta, em entrevista coletiva nesta quarta (13/1), esse tipo de compra não é feito normalmente pelo Ministério da Saúde e a pasta aprendeu com a última tentativa.

Desta vez, além de seringas e agulhas juntas, o governo tentará comprar os produtos separados. “Os imunizantes que estão sendo negociados usam doses de 0,3 ml, 0,5 ml, 0,6 ml. Até a seringa de 3 ml, temos certeza de conseguir tirar a dose correta”, explica o secretário.

Na última tentativa, o governo só conseguiu comprar 7,9 milhões das 331 milhões de unidades pretendidas. Foi feito um acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) para ajudar na importação.

O governo federal também fez uma restrição de exportação dos produtos e reduziu o imposto de importação. “Para tranquilizar a população, o Brasil é um dos maiores produtores de seringa do mundo, fazemos em torno de 1,5 bilhões de unidades por ano”, afirma.

Segundo ele, foi realizada uma reunião com representantes da Abimo, associação que reúne os produtores de seringas, e está sendo feito um esforço nacional para garantir o abastecimento. “O único inimigo do Brasil é o vírus”, diz Franco.

0

Últimas notícias