Saúde dos voluntários do teste da vacina no DF será acompanhada por um ano

Os ensaios clínicos da vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biontech contra a Covid-19 começaram nesta quarta (5/8) no DF

atualizado 05/08/2020 14:42

Jacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

Os voluntários do DF que participarão dos testes da vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biontech terão a saúde detalhadamente acompanhada por pelo menos um ano.  Na manhã desta quarta-feira (5/8), o médico gastroenterologista Gabriel Ravazzi, de 31 anos, que é funcionário do Hospital Universitário de Brasília (HUB), foi ao hospital para ser o primeiro a receber a imunização. Uma segunda voluntária esteve no local, mas não confirmou se recebeu a vacina ou não.

Neste primeiro dia de aplicação da imunização, os pesquisadores prepararam uma agenda com apenas cinco candidatos a voluntários com horários bastante espaçados entre si. O objetivo é que a experiência sirva justamente para prever quanto tempo dura a inclusão de um candidato a voluntário no estudo – um processo que prevê uma consulta médica detalhada com avaliação de sinais vitais, coleta de exames, teste rápido e coleta de amostra para a realização do RT-PCR.

De acordo com o protocolo da pesquisa, na próxima semana, os voluntários que receberem a imunização nesta quarta já voltam para a realização de novos exames, que serão repetidos semanalmente e, em seguida, mensalmente. Todos os voluntários – ao todo, serão 850 no DF – estão sendo escolhidos entre profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19.

Apelidada de Coronavac, a vacina que está sendo aplicado no DF está na terceira e última fase de estudos, quando eficácia e segurança são avaliada em milhares de pessoas. No Brasil, os testes estão sendo realizados em 12 centros de pesquisa e são coordenados pelo Instituto Butantan.

0

Últimas notícias