Ralou? Saiba como cuidar corretamente de feridas na pele

O primeiro passo para conseguir uma cicatrização rápida e eficiente é higienizar bem o local onde está o machucado

Srisakorn, IstockSrisakorn, Istock

atualizado 29/03/2019 13:39

A ferida é uma interrupção na continuidade da pele. As lesões podem ser classificadas como superficiais ou profundas, fechadas ou abertas, simples ou complexas, agudas ou crônicas. Apesar de parecer besteira, o risco de infecção é grande caso os machucados não sejam tratados de maneira correta.

O primeiro cuidado é examinar com atenção o local, tamanho, profundidade, se há secreções, pus, sangue, dor e odor. Essas são informações fundamentais para determinar como será o tratamento para obter cicatrização o mais rápido possível. No caso de feridas simples – arranhões, cortes sem profundidade, superfícies que foram raladas – é importante lavar com água e sabão neutro.

O médico cirurgião geral e vascular Igor Nunes, coordenador técnico do Cenfe Wound Care em Brasília, afirma que a ausência de cuidados é responsável pela piora e/ou lentidão no processo de cicatrização. “O problema pode ser agravado pela falta de conhecimento do paciente sobre a maneira apropriada para cuidar de feridas específicas”, explica.

Além da higienização inicial, é preciso garantir que seja feita a remoção de impurezas – por exemplo, terra – e corpos estranhos – por exemplo, espinhos ou pequenos cacos de vidro. As secreções e/ou tecidos mortos também devem ser retirados da área do machucado. A definição de algum remédio tópico (para ser usado na pele) deve ser feita por um profissional de saúde.

Nunes explica que pessoas com lesões crônicas devem evitar o contato das feridas com água, pois isso pode desencadear uma grave contaminação. O especialista ressalta que pacientes com diabetes, insuficiência arterial ou venosa possuem predisposições para a abertura de machucados nas pernas e pés. “Nesses casos, qualquer vermelhidão merece atenção especial”, finaliza.

Últimas notícias