“Projeto vai durar 14 meses”, diz coordenador dos testes da vacina no DF

Professor da UnB, Gustavo Romero explica como funcionam os ensaios clínicos da candidata à imunização contra a Covid-19

atualizado 05/08/2020 17:48

gustavo romeroJacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

O coordenador dos ensaios clínicos da vacina Coronavac no DF, Gustavo Romero, espera que a pesquisa que avalia os resultados da imunização esteja concluída em 14 meses. Segundo Gustavo, que é professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (UnB), não é possível estimar quando o método de imunização estará disponível para ser aplicado de maneira massiva na população porque isso depende do resultado de estudos e do processo de registro do medicamento.

Ele reforça, entretanto, que todos estão trabalhando para que a vacina contra a Covid-19 esteja disponível o mais rápido possível. “Nosso papel é aplicar a imunização e acompanhar os participantes ao longo de um ano. São 850 participantes, isso representa cerca de 10% do número de voluntários a serem testados no Brasil”, afirma.

A primeira aplicação da vacina foi feita na tarde desta quarta (5/8) no médico Gabriel Ravazzi, 31 anos, que é funcionário do Hospital Universitário de Brasília e trabalha no atendimento direto a pacientes com a Covid-19. Veja nos vídeos abaixo a explicação do coordenador da pesquisa sobre os procedimentos para o desenvolvimento da vacina e o depoimento de Gabriel sobre a experiência de ser voluntário nos testes.

 

Últimas notícias