Pessoas com dieta rica em gordura e açúcar morrem precocemente

Pesquisa divulgada no The Lancet aponta que um quinto das mortes no mundo está ligado à alimentação pobre, sem produtos frescos

Unsplash

atualizado 21/04/2019 21:05

Um dos maiores estudos já realizados sobre hábitos alimentares confirmou o que há muito tempo já se suspeitava: pessoas com dietas pouco saudáveis têm maior tendência a morrer precocemente. A pesquisa foi publicada na última semana no periódico científico The Lancet.

Segundo a análise, um quinto das mortes registradas no mundo está ligado à alimentação pobre — uma combinação de poucas verduras frescas, sementes e nozes e abuso do açúcar, sal e de gorduras trans. Cerca de 90% dessas perdas estão relacionadas a doenças cardiovasculares – há ainda os casos de câncer e diabetes tipo 2. Para chegar a esse número, o estudo rastreou 15 categorias de alimentos em 195 países.

Entre os dados alarmantes da pesquisa, está o alto consumo de sal e de carne vermelha. A ingestão global média da proteína animal é de 27g por dia, acima do limite diário recomendado, de 23g. Enquanto isso, o consumo de oleaginosas como castanhas e nozes é de 3g por dia. Em média, o recomendado gira em torno de 20g diárias.

“Os números devem servir de alerta ao mundo”, disse o diretor de nutrição da Organização Mundial da Saúde (OMS), Francesco Branca, em entrevista ao jornal The New York Times. Até 2030, o Brasil terá mais de 11 milhões de crianças obesas, conforme informações da OMS.

Últimas notícias