OMS pede que brasileiros que já tiveram Covid-19 tomem vacina

Entidade está preocupada com a circulação da variante P.1 no país e não recomenda que essas pessoas esperem para tomar o imunizante

atualizado 17/03/2021 15:29

Vacinação em GoiásVinícius Schmidt/Metrópoles

O presidente do grupo de conselheiros sobre imunização da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse, nesta quarta-feira (17/3), que brasileiros que já tiveram Covid-19 devem ser imunizados rapidamente.

A recomendação anterior da entidade é que essas pessoas esperassem pelo menos seis meses para serem vacinadas, dando lugar para quem ainda está suscetível ao vírus. A janela de tempo havia sido determinada a partir de estudos que mostram a presença de anticorpos até oito meses após a infecção.

De acordo com Alejandro Cravioto, em países como o Brasil, onde há variantes de preocupação circulando, pacientes devem ser imunizados no período máximo de 2 semanas após o fim da doença.

“O problema no Brasil é a circulação da variante, que realmente afetou Manaus, onde vimos um ressurgimento de infecções, mesmo depois que pessoas foram infectadas pela primeira vez”, explica. “Com a circulação da variante, especialmente em locais como Brasil, África do Sul e os EUA, decidimos que, nessas situações, não recomendamos esperar. Nem mesmo se a pessoa já foi exposta ao vírus”, diz.

O presidente da SAGE (grupo de especialistas que assessora a OMS sobre vacinas) sugere, ainda, que o imunizante da Janssen (braço da Johnson & Johnson) seja aplicado nos países onde variantes estão circulando. Por requerer apenas uma dose, a vacina poderia ajudar a controlar a transmissão do coronavírus mais rapidamente.

Entenda, na galeria, como funcionam as variantes:

0

Últimas notícias