O leite em pó pode ser considerado um alimento saudável?

Por ser um produto industrializado, há controvérsias sobre os seus benefícios. O mais importante, no entanto, é ter equilíbrio

AlasdairJames, Getty ImagesAlasdairJames, Getty Images

atualizado 05/07/2019 16:05

Para quem gosta de leite e não tem restrições, a opção em pó costuma ter muitos adeptos. Com a mesma composição do leite líquido, seja ele integral, semidesnatado ou desnatado, ele tem uma vantagem: a duração é maior. No entanto, o produto passa por um processo industrial para retirada da água e isso pode fazer com que perca ou altere algumas propriedades.

Segundo a nutricionista Paula Maia, da Sociedade Brasileira de Diabetes, o produto é sim uma boa opção alimentar pois, mesmo depois da retirada da água, os teores de proteína e de gordura são mantidos. “Eles não alteram os valores nutricionais. A retirada da água é só uma forma de aumentar a estabilidade do produto para que ele dure mais tempo que o leite comum”, argumenta.

No entanto, como qualquer outro processo industrial, há etapas químicas envolvidas. No caso do processamento do leite líquido para o leite em pó, o colesterol presente pode oxidar, convertendo-se em um colesterol mais perigoso.

A nutricionista Bruna Neuhauss explica que, por ser industrializado, a composição do leite em pó pode variar. O conselho, mais uma vez, é que os consumidores estejam atentos aos rótulos. “Tem marcas que só usam o leite na lista de ingredientes, mas outras que colocam açúcar, conservantes e outros aditivos”, explica.

Por fim, quem gosta desta versão deve estar atento à dose e freqüência de consumo. Por ser em pó, muitas vezes as pessoas colocam o ingrediente em várias preparações e ainda abusam da quantidade. “Tem que saber fazer a diluição certa e não ir colocar em tudo”, finaliza.

Últimas notícias