O isolamento social está funcionando? Estudo da UERJ indica que sim

Comparação foi feita entre percentual de aumento do número de mortes e adesão à quarentena nas diferentes regiões do país

atualizado 13/05/2020 11:58

A maioria da pessoas que passou pela estação de metrô de Taguatinga usava a máscaraHugo Barreto/Metrópoles

A lotação nos leitos de hospitais e unidades de terapia intensiva (UTIs) voltadas para o tratamento da Covid-19 tem feito alguns governos estaduais e municipais decretarem o chamado lockdown, que seria uma evolução das medidas de distanciamento social que já foram implantadas na maioria das cidades, como estratégia para prevenir a disseminação do novo coronavírus.

Um estudo realizado pelo engenheiro químico e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Eduardo Lima, mostrou a eficácia do isolamento social no controle do coronavírus. A partir dos dados diários divulgados pelo Ministério da Saúde, Lima conseguiu observar uma redução na curva de óbitos pela Covid-19 onde medidas mais restritivas foram tomadas.

De acordo com o estudo, a adoção de estratégias de isolamento social surte efeito, em média, de 10 a 14 dias após o início delas. O professor cita como exemplo a comparação da curva de óbitos nas regiões Norte e Sul do país. Ambas vinham com o crescimento semelhante, apresentando uma taxa de aumento de cerca de 30% de mortes ao dia.

Depois que os estados do Sul adotaram medidas de isolamento mais rigorosas, desaceleraram o avanço da doença e, em cerca de dez dias, reduziram o crescimento diário das mortes de 30% para perto de 10%. Enquanto isso, o Norte – onde a adesão ao isolamento foi menor, o percentual de aumento do número de mortes por dia passou de 30% para 20%. (Com informações da Agência Brasil)

Últimas notícias