Mito ou verdade: uma taça de vinho por dia faz bem ao coração?

Já se sabe que o vinho tinto tem propriedades que fazem bem à saúde, mas é preciso moderação, especialmente no consumo diário

Roberta Sorge, UnsplashRoberta Sorge, Unsplash

atualizado 05/08/2019 14:57

Uma má notícia para os fãs de vinho: a crença de que uma taça por dia manterá o coração saudável é um mito. Fausto Stauffer, cardiologista do Hospital Santa Lúcia Norte e diretor científico da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), explica que o “paradoxo” do álcool fazer bem à saúde começou com estudos observacionais feitos em populações do sul da França. 

Apesar de terem uma alimentação rica em gorduras saturadas, esses franceses apresentavam baixo índice de mortalidade por doenças cardíacas. “Os pesquisadores observaram que o que essa população tinha de diferente era um consumo elevado de vinho tinto, daí começaram a surgir estudos correlacionando álcool a doenças cardíacas”, detalha Stauffer.

O problema é que, até hoje, tudo o que temos são estudos observacionais — que podem ter vieses e vários fatores de confusão, segundo Fausto. “Observamos que essas populações que consomem mais vinho também costumam ter hábitos de vida mais saudáveis, praticam mais exercícios físicos e se alimentam melhor”, justifica o cardiologista. “Então não conseguimos afirmar com certeza se eles têm menos problemas cardíacos por conta do vinho ou pelo estilo de vida.”

Portanto, ainda não existem estudos clínicos que comprovem a eficácia do álcool para proteger o coração. Mas já se sabe que o vinho tinto é rico em substâncias como resveratrol e polifenóis, encontradas na casca da uva e associadas à prevenção da doença isquêmica do coração e da doença vascular periférica. “”Existem evidências científicas de que o vinho pode trazer efeitos benéficos para a saúde, mas não há provas específicas de que o consumo de uma taça por dia é o ideal para todas as pessoas”, reforça Stauffer.

A recomendação médica, então, é a moderação: até duas taças diárias para homens e uma taça para as mulheres. O cardiologista faz, ainda, um alerta: se você não tem o hábito de beber, não inicie ou, se você bebe, não aumente o consumo de álcool com base nesse ditado. “Abusar da bebida pode causar problemas como o aumento da pressão arterial, maior risco de AVC e câncer.”

Últimas notícias