Jovem de 14 anos ganha prêmio por descobrir molécula contra o coronavírus

Americana Anika Chebrolu usou um modelo de computador para analisar 698 milhões de compostos e encontrar um que pode evitar a infecção

atualizado 21/10/2020 20:57

Anika Chebrolu3M/Divulgação

Aos 14 anos, a adolescente americana Anika Chebrolu ganhou o prêmio Jovem Cientista da empresa 3M por ter encontrado uma molécula que pode se encaixar no coronavírus e evitar que ele infecte células humanas.  Descobertas como esta são o primeiro passo para que cientistas desenvolvam novos remédios.

A garota usou um modelo de computador para analisar 698 milhões de compostos até encontrar um que pode funcionar. Além da possibilidade de encaixe, foi necessário pesquisar a estrutura molecular, as características de uma possível droga à base do composto e como o organismo humano seria capaz de quebrar a molécula.

Anika recebeu US$ 25 mil (cerca de R$ 140 mil) pela descoberta. Além da molécula contra o coronavírus, ela também achou uma que pode ser efetiva contra os vírus influenza. O objetivo da adolescente é trabalhar com cientistas.

“Meus esforços para encontrar um composto que se una ao coronavírus podem parecer apenas uma gota no oceano, mas estão somados a muitos outros esforços. Conseguir desenvolver esta molécula com a ajuda de virologistas e especialistas vai determinar o sucesso desta descoberta”, contou Anika à CNN Internacional. No futuro, a estudante pretende ser pesquisadora da área médica e professora universitária.

“Ela desenvolveu um entendimento sobre o processo de inovação e é uma ótima comunicadora. A vontade de usar o seu tempo e talento para fazer do mundo um lugar melhor nos traz esperança”, diz Cindy Moss, diretora senior da STEM Initiatives for Discovery Education, responsável pela premiação da 3M.

0

Últimas notícias