No Reino Unido, 90 pessoas serão infectadas de propósito por coronavírus

Governo do país anunciou nesta terça-feira (20/10) que realizará ensaio clínico de "desafio humano"

atualizado 20/10/2020 19:23

Espirro - coronavirusPixabay

O governo do Reino Unido anunciou, nesta terça-feira (20/10), que investirá 33,6 milhões de libras (aproximadamente R$ 244 milhões) em um estudo que prevê infectar voluntários saudáveis com o novo coronavírus para testar a eficácia das vacinas em desenvolvimento contra a Covid-19.

O projeto, conhecido como “desafio humano“, prevê a participação de 90 voluntários saudáveis com idades que variam entre 18 e 30 anos. Nesse modelo, os pesquisadores não precisam esperar que os participantes sejam infectados pelo vírus naturalmente após receber a candidata à imunização. O objetivo é acelerar respostas sobre a eficácia das fórmulas em desenvolvimento.

No primeiro momento, os cientistas vão usar doses controladas do Sars-CoV-2 para identificar qual é a menor fração do vírus necessária para causar a infecção por Covid-19. Eles acreditam que com esses resultados será possível acelerar o desenvolvimento de vacinas e tratamentos contra a doença.

A previsão é de que o estudo comece em janeiro de 2021 e os primeiros resultados estejam disponíveis em maio. Para ser realizado, o projeto ainda precisa ser aprovado pelas agências reguladoras e pelo comitê de ética. Ele será feito em parceria com o Imperial College London, da Inglaterra, a empresa VIVO e a Royal Free London NHS Foundation Trust.

Posição da OMS
Em resposta ao anúncio do governo britânico, a porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Harris, lembrou que ainda não existe um tratamento específico para a Covid-19 e disse que todos os envolvidos devem entender “exatamente o que está em jogo”. Margaret pediu que o estudo seja supervisionado por um comitê de ética.

0

 

 

Últimas notícias