Homem com sintomas de embriaguez descobre tumor no cérebro

Caso aconteceu em Portugal com um cidadão britânico. Família suspeitou que paciente tinha bebido demais, mas eram sintomas de um câncer

atualizado 08/08/2022 15:57

Foto colorida de câncer no cérebroGetty Images

O inglês Keith Jackson, de 54 anos de idade, estava em Portugal enquanto sua família permanecia no Reino Unido. Durante uma ligação rotineira para saber como estavam as coisas, a filha de Keith achou que o pai estava desorientado e que havia exagerado na bebida. Ele mal conseguia terminar frases.

Na verdade, o britânico apresentava sinais avançados de um tumor no cérebro. Keith foi diagnosticado com gliobastoma, um tipo de câncer que atinge o Sistema Nervoso Central e provoca perda das funções neurológicas, pouco depois do telefonema.

O paciente voltou para o Reino Unido para realizar o tratamento contra o câncer perto de sua família. Mas, em fevereiro de 2020, cerca de três meses depois do diagnóstico, ele faleceu.

A tragédia familiar levou a filha de Keith, Lianne Jackson, ao trabalho voluntário. Ela se dedica a arrecadar dinheiro para pesquisas destinadas à cura do câncer de cérebro. O projeto conta histórias parecidas com a de Keith para ajudar no diagnóstico e, desta maneira, facilitar o tratamento.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

 

Sinais do câncer de cérebro

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), alguns sinais podem indicar câncer no cérebro. Saiba quais são:

  • Dores de cabeça mais intensas: não é qualquer dor de cabeça comum que levanta a suspeita desse tipo de câncer. Procure um médico quando há uma dor nunca sentida, mudança no tipo de dor de cabeça, piora na intensidade da dor e aumento da frequência.
  • Epilepsia ou outras crises convulsivas: principalmente quando o paciente apresenta a crise pela primeira vez, ou não tinha recebido o diagnóstico de epilepsia antes.
  • Perda das funções neurológicas: quando há perda de força ou do tato nos membros; de visão ou de audição; alterações da fala ou da capacidade intelectual (compreensão, raciocínio, escrita, cálculo, reconhecimento de pessoas) ou de comportamento (apatia, agitação ou agressividade) em relação ao padrão normal da pessoa.

Tratamento

Os tumor no cérebro tem tratamento complexo e envolve vários profissionais de saúde diferentes, como fisioterapeuta, enfermeiro, fonoaudiólogo e nutricionista. O processo começa com o neurocirurgião e envolve uma cirurgia para remoção do tumor ou de fragmento de tecido para biópsia.

O material retirado na cirurgia é examinado pelo médico patologista para chegar ao diagnóstico definitivo, importante para saber o tipo de tratamento específico para o paciente. Os próximos passos e a evolução vão depender do tipo do tumor.

Depois disso, o tratamento envolve o oncologista clínico, com o planejamento da quimioterapia e sessões de radioterapia. Todo o acompanhamento será feito em conjunto pelo neurocirurgião, pelo oncologista clínico e pelo radioterapeuta.

Mais lidas
Últimas notícias