É possível morrer de calor? Entenda riscos e saiba se proteger

Além de desidratação, a temperatura elevada pode provocar uma espécie de pane no metabolismo

atualizado 06/10/2020 18:41

JP Rodrigues/ Metrópoles

Nesta terça-feira (6/10) chamou a atenção um comunicado do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) sobre o risco à vida provocado pela onda de calor que está sendo registrada nestes dias.

Sim, o órgão responsável pelas previsões climáticas não estava falando metaforicamente. Morrer de calor é possível, apesar de raro.

De acordo com o médico Lucas Vargas, chefe do atendimento clínico do Hospital Santa Lúcia Norte e Santa Lúcia Gama, além de desidratação, a temperatura elevada pode provocar uma espécie de pane no metabolismo.

“A temperatura alta no corpo pode resultar na quebra de proteínas essenciais, prejudicando funções vitais do organismo”, relata. De acordo com ele, os mais vulneráveis são idosos e bebês, que têm menos capacidade de adaptação às variações climáticas e, muitas vezes, precisam do cuidado de outras pessoas para se protegerem.

Quando está muito quente, a reação do corpo é suar, em uma tentativa de diminuir a temperatura interna. O primeiro problema causado por suar excessivamente é a desidratação – caso não haja reposição de líquidos – mas há outros bem piores pela frente.

Em quadros de desidratação extrema, a pressão sanguínea cai e a tendência é que o coração bata mais rápido para tentar elevar a pressão e equilibrar o organismo. O sangue, no entanto, está mais denso por causa da ausência de líquidos. A combinação entre sangue denso e coração acelerado pode resultar na formação de trombos e/ou, até mesmo, em uma parada cardíaca.

“São casos extremos, mas acontecem. Certamente, você já ouviu uma notícia assim”, lembra o médico. Em 2018, por exemplo, o verão europeu matou 1,5 mil pessoas só na França.

Durante episódios de ondas de calor, o perigo é maior porque o corpo não atinge o reequilíbrio proporcionado por noites mais frias. O conselho do médico é manter a hidratação, usar roupas leves e buscar espaços arejados dentro de casa.

Últimas notícias